Vacina chinesa contra o ebola recebe aprovação para iniciar testes clínicos

Último balanço da OMS revela que doença já matou 6.915 pessoas

iG Minas Gerais |

Pequim, China. A vacina que o Exército chinês desenvolveu contra o ebola recebeu ontem a aprovação para o início da fase de testes clínicos em humanos. A vacina, que foi desenvolvida pela Academia de Ciências Militares, é baseada na cepa com a mutação genética de 2014, causadora da atual epidemia de ebola no oeste da África.

A substância tem a forma de um pó liofilizado, o que a mantém estável em temperaturas de até 37ºC durante um máximo de duas semanas, o que permite seu transporte pela região da África Ocidental e facilita sua produção em grande escala.

Além disso, a China anunciou no fim de agosto que seu Exército havia recebido autorização para produção do primeiro remédio desenvolvido nesse país para combater o vírus do ebola, embora ainda não tivesse iniciado a fase de testes clínicos em humanos, apesar dos experimentos realizados com animais e em cultivos de laboratório.

Segundo os últimos números da Organização Mundial da Saúde (OMS) divulgados no início deste mês, a epidemia de ebola ao redor do mundo deixou até agora mais de 6.000 mortos, a grande maioria no oeste africano.

Mais uma morte. O médico mais destacado de Serra Leoa morreu ontem em decorrência do ebola, horas depois da chegada ao país de uma droga experimental que poderia ter sido usada para tratá-lo, afirmou a principal autoridade médica local.

Victor Willoughby foi diagnosticado com a doença na semana passada, depois de tratar um homem com problemas nos órgãos.

Serra Leoa

Com a morte de Victor Willoughby, sobe para 12 o número de médicos de Serra Leoa que contraíram o vírus, sendo que 11 deles morreram.

Leia tudo sobre: Clique para inserir palavras chave