TRE retotaliza votos para o cargo de deputado estadual em Minas

Com a incorporação dos 58.041 votos dados a Pedro Ivo Ferreira Caminhas, o Pinduca (PP), não houve alteração na composição das bancadas eleitas; político havia sido barrado na Lei da Ficha Limpa

iG Minas Gerais | TRE-MG |

Pinduca confirma a vontade de concorrer à Prefeitura de Betim, mas diz que existem negociações para compor uma futura chapa com Carlaile Pedrosa
JOÃO LÊUS/ARQUIVO
Pinduca confirma a vontade de concorrer à Prefeitura de Betim, mas diz que existem negociações para compor uma futura chapa com Carlaile Pedrosa

TRE retotaliza votos para o cargo de deputado estadual em Minas

O Tribunal Regional Eleitoral de Minas Gerais (TRE-MG) retotalizou, nesta quinta-feira (18), os votos para o cargo de deputado estadual no Estado, por determinação do presidente do TRE, desembargador Geraldo Augusto de Almeida. Isso porque, no último dia 16 de dezembro, o Tribunal Superior Eleitoral (TSE) deferiu o registro de candidatura de Pedro Ivo Ferreira Caminhas, o Pinduca (PP).

Com a incorporação dos 58.041 votos dados a Pinduca nos cálculos dos resultados, não houve alteração na composição das bancadas eleitas, mas o candidato assumiu a primeira suplência na Coligação A Voz de Minas (DEM/ PSDB/ PP/ PSD/ PPS). Os candidatos que estavam na sequência, José Maia e Célio Moreira, ambos do PSDB, passaram para a segunda e a terceira suplência, respectivamente.

O TRE-MG havia negado o registro com base na Lei da Ficha Limpa (LC 135/2010). A Corte mineira considerou Pinduca inelegível por ele ter sido condenado, em ação que transitou em julgado em maio de 2012, por abuso de poder político e econômico nas eleições de 2008.

Leia tudo sobre: Clique para inserir palavras chave