Para Casa Branca, ataque à Sony é 'questão de segurança nacional'

A empresa optou por cancelar o lançamento do filme "A Entrevista", que trata de uma paródia sobre o regime norte-coreano

iG Minas Gerais | AFP |

Os ataques virtuais que atingiram recentemente a Sony Pictures, levando a empresa a cancelar o lançamento de uma paródia sobre o regime norte-coreano são uma "questão de segurança nacional", alertou a Casa Branca nesta quinta-feira.

O porta-voz da Casa Branca, Josh Earnest, recusou-se a confirmar que a Coreia do Norte estivesse vinculada ao ataque virtual contra a gigante do cinema sobre o lançamento previsto de "A Entrevista", que trata de um complô fictício para assassinar o ditador norte-coreano Kim Jong-Un.

"O presidente considera esta uma séria questão de segurança nacional", acrescentou Earnest, afirmando que o ataque no qual hackers tiveram acesso a documentos internos da Sony e a filmes inéditos foi obra de um "ator sofisticado".

A Sony cancelou o lançamento do filme depois que redes de cinema nos Estados Unidos anunciaram que não exibiriam "A Entrevista".

A reação se seguiu a ameaças de um grupo de piratas informáticos, autodenominado GOP (Guardiães da Paz), segundo o qual os ataques de 11 de setembro de 2001 como um alerta agourento a qualquer cidadão que pretenda assistir ao filme.

A Coreia do Norte negou envolvimento no ciberataque, lançado em 24 de novembro, que alguns especialistas disseram que pode ter sido praticado por trabalhadores insatisfeitos ou simpatizantes da Coreia do Norte, irritados com o filme.  

Leia tudo sobre: Clique para inserir palavras chave