Lula reclama de vazamentos seletivos e 'linchamento midiático'

De acordo com ex-presidente,"setores partidários e da imprensa fazem tábula rasa de sagrados princípios do Estado de Direito" e criam um ambiente para que exista um prejulgamento nos casos de corrupção

iG Minas Gerais | Folhapress |

Sem citar diretamente a Operação Lava Jato, o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva reclamou nesta quinta-feira (18) de vazamentos seletivos de inquéritos e de "linchamento midiático" em meio a investigações sobre corrupção no país.

De acordo com Lula, "setores partidários e da imprensa fazem tábula rasa de sagrados princípios do Estado de Direito" e criam um ambiente para que exista um prejulgamento nos casos de corrupção antes que processos formais sejam concluídos.

"Nesse momento em que se realizam investigações capazes de conduzir ao expurgo de práticas ilícitas de corruptos e corruptores, há setores que se lançam à manipulação da denúncia e ao vazamento seletivo de inquéritos com indisfarçável objetivo político-partidário (...) Pessoas e instituições investigadas tornam-se alvo de prejulgamento público sem acesso proporcional ao direito de defesa", disse.

As declarações foram dadas num evento realizado na manhã desta quinta-feira (18) no Ministério da Justiça em comemoração aos dez anos da reforma do Judiciário, que, entre outros, criou o CNJ (Conselho Nacional de Justiça) e o CNMP (Conselho Nacional do Ministério Público).

O evento também homenageou o ex-ministro da Justiça Márcio Thomaz Bastos. A partir de agora, leva seu nome uma medalha que será concedida pelo ministério a pessoas que prestarem relevantes serviços a favor do acesso da sociedade à Justiça.

Lula, que fez o discurso que encerrou o evento, ainda disse que defende a democracia e a imprensa livre, mas que era preciso "repudiar com vigor a incitação linchamento midiático que em nada contribuiu para o julgamento necessariamente isento no âmbito das instituições".

Leia tudo sobre: Clique para inserir palavras chave