Cruzeirenses não aprovam a Penalty como nova fornecedora celeste

Adidas e Nike são as empresas favoritas da torcida celeste para confecção dos tradicionais uniformes estrelados

iG Minas Gerais | DIEGO COSTA |

Uniforme aparece sem o patrocinador master, já que o BMG não renovará o contrato para 2015
Reprodução internet
Uniforme aparece sem o patrocinador master, já que o BMG não renovará o contrato para 2015

Após o anúncio oficial da Penalty como nova fornecedora de materiais esportivos do Cruzeiro, nessa quarta-feira, o torcedor voltou a lamentar a falta de uma empresa que consideram mais "forte" para confeccionar os uniformes estrelados. A marca brasileira substituirá a Olympikus, que vestiu os jogadores celestes nas três últimas temporadas.

Nas ruas, a torcida se mostrou insatisfeita com a escolha. "Eu achei péssimo. A gente sabe que quem paga mais leva, mas o Cruzeiro poderia ter buscado uma marca mais tradicional, pois acabam até vendendo mais camisas também. O sonho do cruzeirense é ter um uniforme da Adidas, da Nike", afirmou o empresário Rômulo Pampolini.

O gerente comercial Fábio Bispo tem a mesma opinião e esperava outra marca. "Vai ficar na mesma. Eu gostaria que fosse outra, mas o doutor Gilvan sabe o que é melhor para o clube, pensa sempre no melhor para o Cruzeiro", afirmou Fábio.

O representante comercial Leandro Freitas, por outro lado, aprovou o novo contrato. "A Olympikus deixou a desejar com o fornecimento, mas se ajustou já no fim do contrato. Eu acho interessante o contrato, com o Cruzeiro ganhando nas vendas, o que vai exigir que o clube fiscalize mais o fornecimento nas lojas", destacou Freitas.

Em comum, eles aprovaram a ideia de ter um uniforme sem patrocínios no início de 2015, modelo que estará à venda aos torcedores.

"Eu gostei disso. Igual foi o uniforme de 2009. Acho mais bonito. Vou correr para comprar", pontuou Fábio Bispo. 

Leia tudo sobre: torcedoresnaogostampenaltyacertocruzeirouniformefornecedoramaterialesportivo