Crise no Hospital das Clínicas

Direção da unidade orientou que colaboradores diminuam pedidos de exames por falta de insumos

iG Minas Gerais | Cinthia Ramalho |

Equipe. 
Instituição fica na avenida Alfredo Balena e tem 427 terceirizados, diz sindicato da categoria
MARCOS BIZZOTTO/OTEMPO
Equipe. Instituição fica na avenida Alfredo Balena e tem 427 terceirizados, diz sindicato da categoria

O Hospital das Clínicas (HC) da Universidade Federal de Minas Gerais, referência em áreas como a oncologia, está passando por uma crise interna. A reportagem teve acesso a dois e-mails que a direção da instituição enviou neste mês aos funcionários, nos quais comunica que não há recursos financeiros para o pagamento referente ao mês de novembro aos terceirizados e orienta os colaboradores a, sob a alegação de “que o estoque de insumos encontra-se reduzido”, diminuir os pedidos de exames laboratoriais de pacientes. A assessoria de imprensa do hospital confirmou as situações.

O atraso dos salários e a restrição dos exames ocorrem, segundo a assessoria, em decorrência do atraso de repasses por parte do governo federal, já que os recursos referentes aos serviços prestados ao Sistema Único de Saúde (SUS) e provenientes do Fundo Nacional de Saúde estão atrasados desde 10 de dezembro. A instituição informou também que as despesas do hospital giram em torno de R$ 16 milhões, e que o HC estaria devendo alguns fornecedores, mas não especificou os valores. Conforme publicou O TEMPO em outubro, o déficit mensal do hospital era de R$ 3 milhões. Profissionais. Preocupados com o conteúdo dos comunicados, funcionários afirmam que o hospital também sofre com falta de medicamentos. Segundo um médico residente, estão em falta remédios para tratar osteoporose, edemas cerebrais e infecções. “A falta de medicamentos é crônica no hospital. Como o estoque de alguns reagentes usados em exames está acabando, estamos reduzindo os pedidos”, contou, sob anonimato. “Ouvimos pelos corredores que o pronto-atendimento pode ser fechado”, disse uma nutricionista, também sob anonimato. A reportagem conversou nesta quarta com pacientes, mas nenhum reclamou sobre o hospital. Segundo um nutricionista que trabalha na unidade, os usuários ainda não perceberam a crise. “Os profissionais trabalham como podem para não faltar nada aos pacientes. Se falta algum remédio, médicos tentam prescrever outro, com a mesma função, que ainda existe em estoque”.

UTI Falha. Faltam vagas para pacientes em tratamento e serviços de terapia intensiva funcionam reduzidamente nos fins de semana, por falta de profissionais, segundo um médico.

Comunicados enviados pela direção aos funcionários

“A Coordenação da Unidade Funcional Patologia e Medicina Laboratorial faz saber que o estoque de insumos encontra-se reduzido em virtude do corte orçamentário imposto ao hospital. Solicita-se, portanto, priorização e racionalização da propedêutica laboratorial de forma a evitar o desabastecimento. Estamos à disposição para quaisquer outros esclarecimentos. Atenciosamente. Terça-feira, 16 de dezembro de 2014.” “A Direção do Hospital das Clínicas da UFMG - Filial Ebserh informa que o pagamento da fatura do contrato de prestação de serviços com a HCCOOP, relativa ao mês de novembro/2014, que deveria ser feito em dezembro/2014, lamentavelmente, não poderá ser efetuado, por absoluta falta de recursos financeiros. Na oportunidade, informa que vem mantendo contatos permanentes junto aos órgãos competentes (Ministério da Saúde, Ministério da Educação e Ebserh), no intuito de obter liberação de recursos. Tão logo sejam feitos os repasses de orçamento e financeiro, o pagamento será processado. Belo Horizonte, 16 de dezembro de 2014.”

Leia tudo sobre: Clique para inserir palavras chave