Relatório paralelo pede processo

Na lista há os ex-diretores da petroleira Paulo Roberto Costa, Nestor Cerveró e Renato Duque e dois ex-gerentes Pedro Barusco e Silas Oliva

iG Minas Gerais |

Brasília. No relatório paralelo apresentado ontem na CPI Mista da Petrobras, integrantes da oposição, autores do texto, pedem ao Ministério Público Federal a abertura de uma ação por ato improbidade administrativa contra a presidente Dilma Rousseff (PT).  

O documento não cita nominalmente a presidente, mas pede uma ação contra todos os integrantes da cúpula da Petrobras que participaram do processo de compra da refinaria de Pasadena, em 2006. Na ocasião da aquisição, Dilma era a presidente do Conselho de Administração da estatal.

No documento, integrantes da oposição pedem ainda o indiciamento da atual presidente da Petrobras, Graça Foster, pelo crime de prevaricação. No entendimento dos parlamentares de oposição, Foster também praticou o crime de falso testemunho em depoimento prestado na CPMI no último dia 11 de junho.

Já o deputado Marco Maia (PT-RS) retificou o relatório apresentado à CPI mista da Petrobras na semana passada e pediu o indiciamento de cerca de 50 suspeitos de participar do esquema de corrupção na estatal.

Na lista há os ex-diretores da petroleira Paulo Roberto Costa, Nestor Cerveró e Renato Duque e dois ex-gerentes Pedro Barusco e Silas Oliva. Fora dos quadros da estatal, a relação cita também os principais executivos das empreiteiras.

Refinaria

Sintonia. Marco Maia mudou seu parecer sobre a compra da refinaria de Pasadena. Inicialmente, ele a classificou como bom negócio. Após ter informações da CGU, disse que causou prejuízo de U$ 561 milhões.

Leia tudo sobre: Clique para inserir palavras chave