Cerveró e Baiano viram réus

Segundo a denúncia, ele recebeu as propinas com a intermediação de Camargo, enquanto Youssef providenciou a lavagem do dinheiro

iG Minas Gerais |

Nestor Cerveró está na Inglaterra, onde passará o fim de ano
Pedro França
Nestor Cerveró está na Inglaterra, onde passará o fim de ano

Brasília. O juiz federal Sérgio Moro aceitou ontem denúncia contra o ex-diretor da área Internacional da Petrobras Nestor Cerveró; o lobista Fernando Soares, o Fernando Baiano; o empresário Júlio Camargo, da Toyo Setal; e o doleiro Alberto Youssef. Foi a última das seis ações propostas pelo Ministério Público Federal (MPF) aceita pela Justiça. Com eles, já são 39 réus no escândalo envolvendo desvios de recursos da estatal que somam R$ 1,5 bilhão.  

Cerveró é acusado de receber US$ 40 milhões (R$ 108 milhões) em propinas para facilitar contratos no valor de US$ 1,2 bilhão (R$ 3,2 bilhões) com a Samsung Heavy Industries Co., para a viabilizar a contratação de navios-sonda da Petrobras na África e no México.

Segundo a denúncia, ele recebeu as propinas com a intermediação de Camargo, enquanto Youssef providenciou a lavagem do dinheiro.

Baiano é acusado de ser outro intermediário nos negócios na Área Internacional da estatal, repassando propinas para o PMDB, que indicou Cerveró para o cargo. Os quatro têm que comparecer ao tribunal no dia de 13 de fevereiro, às 11h.

Cerveró não está no Brasil. De acordo com o advogado Edson Ribeiro, o réu está na Inglaterra, onde passará as festas de fim do ano com familiares da esposa.

Leia tudo sobre: Clique para inserir palavras chave