Jogadora revela pressão por resultado: 'imagina se perder'

Apos conquistar título, ala Vanessa disse que cobrança por manutenção da hegemonia brasileira era muito grande

iG Minas Gerais | Da redação |

Equipe de futsal feminino sabia da responsabilidade e fez bonito: voltou com o troféu em mãos
Reprodução/SporTV
Equipe de futsal feminino sabia da responsabilidade e fez bonito: voltou com o troféu em mãos

Pentacampeã mundial, a seleção feminina do futsal do Brasil não desfruta de prodígio no cenário esportivo do País, nem mesmo dentro da Confederação Brasileira de Futsal (CBFS). Em entrevista ao “Sportv News” nesta manhã, a ala Vanessa Pereira, artilheira do Mundial deste ano, escancarou a realidade da modalidade e não poupou críticas à falta de visibilidade.

Mesmo obtendo grandes resultados, que muito se assemelham à equipe masculina, o time das mulheres conseguiu um patrocínio apenas de última hora para viajar à Costa Rica. Diante disso, embarcou sob grande cobrança e pressão para manter a hegemonia verde e amarela no torneio.

“A gente conseguiu mostrar que existia uma seleção tetracampeã, que agora é penta (...). Mostramos para o Brasil todo que existe mais uma modalidade no cenário nacional. Fomos com uma responsabilidade muito grande, pois conseguimos capitalizar recursos para representar a nossa seleção. Tínhamos consciência de que precisávamos manter essa hegemonia. A seleção tetracampeã não participar seria um pouco complicado, e se fôssemos e não vencêssemos... Escutamos uma frase que nos marcou muito e que nos deu força também para disputar esse Mundial que foi: 'Se ganhando está ruim, imagina se perder'”, revelou a atleta ao canal de esportes.

Leia tudo sobre: vanessa pereirafutsal femininofutsalmundialpentatroféucobrançacbfs