Jogadoras da Superliga feminina também protestam contra CBV

Atletas de Molico-Nestlé-SP e Sesi-SP entraram em quadra com faixa preta no braço

iG Minas Gerais | DANIEL OTTONI |

Capitã Fabiana, do Sesi-SP, também mostrou sua revolta contra desvio de dinheiro da CBV
LUCAS DANTAS
Capitã Fabiana, do Sesi-SP, também mostrou sua revolta contra desvio de dinheiro da CBV

 

O protesto dos jogadores da Superliga contra o escândalo de corrupção envolvendo a CBV também atingiu as atletas da Superliga feminina.

Enquanto os homens entraram em quadra com narizes de palhaço e chegaram a errar os primeiros saques que fizeram na partida entre Vôlei Canoas-RS e Funvic-Taubaté-SP, as meninas resolveram usar uma faixa preta no braço em sinal de luto.

O fato aconteceu no jogo entre Molico-Nestlé-SP e Sesi-SP, nesta terça-feira, em Osasco.

Relatório feito pela Controladoria Geral da União (CGU) identificou desvio de R$ 30 milhões e diversas irregularidades nos contratos que a CBV firmou com empresas de prestação de serviços. Estas empresas não provaram o trabalho para o qual foram contratadas, além da sua propriedade ser de pessoas próximas do então presidente Ary Graça, hoje a frente da Federação Internacional de Voleibol (FIVB). O relatório será encaminhado ao Ministerío Público, segundo o ministro do CGU Jorge Hage.