Foto de cadela morta em academia mobiliza protesto na Pampulha

O animal, que servia como mascote da academia Alta Energia no bairro Castelo, foi encontrado morto no local, coberto por ferimentos e sangue

iG Minas Gerais | JULIANA BAETA |

Cadela Anilha era mascote da academia, mas foi encontrada morta no local há cerca de uma semana
Reprodução/ Facebook
Cadela Anilha era mascote da academia, mas foi encontrada morta no local há cerca de uma semana

Após a morte de uma cachorrinha que servia de mascote em uma academia, cerca de 150 pessoas se mobilizam em uma manifestação pelo fim da crueldade com animais marcada para este sábado (20), na frente da unidade Pampulha da academia Alta Energia, no bairro Castelo. 

O motivo da mobilização foi a foto da animal morto, cheio de ferimentos, que passou a ser compartilhada no Facebook no dia 10 deste mês e que, nesta terça-feira (16) já alcançou 2.180 compartilhamentos na rede. A denúncia partiu de uma aluna da academia, que ficou indignada com a morte da Anilha, nome dado à cadela.

Junto a imagem, ela postou: “eu odeio postar esse tipo de coisa, mas perante os fatos, não posso me fazer de cega ou me calar, como parece que a academia Alta Energia Pampulha está tentando ou querendo fazer, ao tentar abafar e omitir o caso. Essa cachorra, por falta de cuidados básicos, por maus tratos, veio a óbito. O que era uma pequena ferida (que poderia ter sido facilmente e adequadamente tratada) por falta de cuidados, virou uma bicheira, e continuaram sem dar o tratamento mínimo adequado. Ela foi ignorada, o que a fez sangrar até a morte, a míngua. E lá tem outra cachorra igual a essa, que também está machucada e também não está sendo tratada como deve ser. Vão deixar novamente outro animal morrer por maus tratos e falta de cuidados básicos? Queremos uma posição adequada da academia, da qual sou aluna há muitos anos”.

A diretora administrativa da empresa, Cláudia Carvalho, disse que há 23 anos a academia tem cães que são mascotes da empresa nas unidades. Atualmente, são oito animais tutorados pela academia “A gente tem esses animais em algumas unidades porque a gente acredita que é uma forma de incentivar a convivência com animais domésticos”, disse.

“A gente tem a consciência de que não fez nada errado. Somos uma empresa que gosta de animais, nossos animais são muito bem cuidados. Ficamos tristes com a morte da cachorra, mas a gente ainda nem teve nem tempo de sentir o luto por conta dessa repercussão toda”, completou.

A causa da morte da cadela não foi divulgada. No entanto, a assessoria da academia enviou o laudo da veterinária expedido nesta terça-feira (16), onde consta que o animal foi diagnosticado no dia 4 de dezembro com miíase e que foram prescritas medicações e realizada a limpeza no local do ferimento.

No verso do documento, a veterinária escreveu uma observação, onde diz que acredita que a morte da Anilha não tenha sido causada pelo ferimento no cotovelo, mas não determina o que teria causado sua morte. 

Leia tudo sobre: Clique para inserir palavras chave