Manifestantes fecham porto de Manga contra reintegração de posse

Policiais militares estão na ocupação onde moram 110 famílias para fazer a reintegração de posse e ocupantes decidiram fechar o acesso pelo rio São Francisco em protesto

iG Minas Gerais | JULIANA BAETA |

Manifestantes fecharam o porto de acesso a cidade de Matias Cardoso pelo rio São Francisco
Gilvânia Carvalho
Manifestantes fecharam o porto de acesso a cidade de Matias Cardoso pelo rio São Francisco

Uma manifestação em Manga, no Norte de Minas, impede a passagem do porto da cidade, que liga o município a Matias Cardoso pelo rio São Francisco. O motivo é a reintegração de posse que está sendo realizada nesta terça-feira (16), com o objetivo de retirar as 110 famílias que moram na Fazenda Marilândia há mais de 17 anos.

A Polícia Militar da cidade confirmou a reintegração de posse, mas disse que a situação está tranquila e que a manifestação foi controlada.

Já para os manifestantes, a situação não foi tão tranquila assim. “O coronel da PM pisou no cordão de isolamento que colocamos e chegou a empurrar um dos companheiros”, disse Gilvânia Carvalho, da Comissão Pastoral da Terra, que acompanha a ocupação  e a manifestação nesta terça-feira.

Segundo ela, as famílias moram na fazenda, mais conhecida como Baixa Funda, e que conta com cerca de 2 mil hectares. “A fazenda não cumpre seu dever social, não é produtiva. Essas famílias, em quase 18 anos, produziam feijão, milho, mandioca, e outras atividades que abasteciam a cidade. São 400 hectares de produtividade”, contou Carvalho.

Em cerca de 17 anos, as ocupações no local já passaram por reintegração de posse 13 vezes. “Mas as famílias sempre voltam para lá. Não adianta, são 17 anos morando e produzindo naquele lugar. Na última vez, o filho do dono da fazenda chegou a atirar em um algumas barracas”, contou a representante da Comissão Pastoral da terra.

A PM continua acompanha a manifestação e a reintegração de posse no local, pode acontecer até o fim do dia. 

Leia tudo sobre: Clique para inserir palavras chave