Cobertura natural é de apenas 33,8%

Um dos tópicos do guia é a prevenção a incêndios. Um balanço parcial do Instituto Nacional de Pesquisas Especiais (Inpe) registrou 4.735 focos no Estado em outubro deste ano, um recorde

iG Minas Gerais | BERNARDO ALMEIDA |

Além do caráter turístico, o “Guia de Parques de Minas” ainda traz alerta sobre a necessidade do turismo ecologicamente responsável.  

Um estudo de 2005, elaborado pelo Instituto Estadual de Florestas (IEF) em parceria com a Universidade Federal de Lavras (UFLA), revelou que resta somente 33,8% da cobertura vegetal nativa em Minas, sendo 57% de Cerrado, 41% de Mata Atlântica e 2% de Caatinga.

Um dos tópicos do guia é a prevenção a incêndios. Um balanço parcial do Instituto Nacional de Pesquisas Especiais (Inpe) registrou 4.735 focos no Estado em outubro deste ano, um recorde.

“Nossa estimativa é que, neste ano, a área devastada das Unidades de Conservação tenha sido o dobro de 2013, quando perdemos 12 mil hectares. É o resultado do número maior de incêndios em todo o Estado, devido à falta de chuvas atípica ao longo do ano”, diz Henri Collet, diretor de áreas preservadas do IEF. 

Leia tudo sobre: Clique para inserir palavras chave