Praia é castigado pelos erros e perde para Rexona por 3 a 0

Equipe de Uberlândia ganhou apenas dois sets nos três jogos seguidos contra equipes de maior investimento na Superliga

iG Minas Gerais | DANIEL OTTONI |

Praia precisou de cinco sets para bater time que não brigará pela parte de cima da tabela
Divulgação
Praia precisou de cinco sets para bater time que não brigará pela parte de cima da tabela

O Dentil-Praia Clube mostrou brio no último jogo da pesada sequência contra as três líderes da Superliga feminina. Mas o saldo, após derrota na noite desta segunda-feira, em Uberlândia, para o Rexona-Ades-RJ (25/19, 25/23 e 25/22) foi de apenas um ponto em nove possíveis, além de dois sets conquistados. O jogo foi válido pela 11ª rodada do turno.

O resultado deixa o time mineiro ainda mais distante das equipes, que ainda não perderam no torneio. A diferença que poderia cair para cinco pontos continua nos oito. Se a comparação for feito com o time carioca, que assumiu a liderança provisória da Superliga, a margem aumenta para 11 pontos. A rodada será completada nesta terça-feira.

O Praia segue na quarta posição e já pensa no jogo da próxima sexta-feira, fora de casa, contra o lanterna São José dos Campos-SP.

Apesar do equilíbrio, o Praia mostrou irregularidades em momentos-chave do jogo. Atuando contra uma equipe de alto nível, como a do técnico Bernardinho, as falhas foram logo castigadas, não tendo chance de recuperar os erros. "Erramos muito. No primeiro set, estava 8 a 5 para elas, em cinco erros nossos. Não sei explicar bem o que está acontecendo. Está faltando tudo, vontade, consciência, paciência. Temos que aproveitar melhor as oportunidades", lamentou a oposto Tandara.

O time não pôde contar com a ponta cubana Daimy Ramirez, que fez falta. "A Daymi faz a diferença para o time delas, assim como a Tandara. Nos finais de sets, conseguimos ter uma folga no placar e isso nos deu uma certa tranquilidade, até por atuar fora de casa, com a torcida delas apoiando. Vencer aqui não é fácil", analisa a líbero Fabi, do Rexona.

Em quase toda a partida, o Praia precisou correr atras do prejuízo, por menor que ele fosse. Isso acabou desgastando o time, tanto física como psicologicamente, uma vez que novos tropeços na partida só complicariam a situação. A oposta Tandara foi muito acionada pela levantadora Karine. Nem sempre a jogadora da seleção atendeu ao chamado, até pela sequência de bolas que recebeu.

Erros do começo ao fim No primeiro set, o Rexona abriu 8 a 5 e o técnico do Praia, Ricardo Picinin, não perdeu tempo para alertar suas jogadoras.

"Vamos parar de dar pontos de graça para elas", vociferou o comandante, buscando dar uma chacoalhada no seu elenco.

A relação saque-bloqueio do Rexona funcionava bem. O passe praiano não funcionava e o paredão carioca conseguia marcar bem as investidas das donas da casa.

A vantagem do Rexona de dois pontos aconteceu até um 15 a 13, quando o Praia virou para 17 a 15. O bom momento não foi aproveitado. As visitantes viraram para 22 a 18 e fecharam o set, saindo na frente.

No segundo set, mais equilíbrio. Mas os erros do Praia fizeram com que o Rexona abrisse pequena vantagem. Com o passe mineiro sem encaixar e um aproveitamento aquém nos contra-ataques rendimento do Praia ficou aquém. Mesmo próximo do placar, o time do Triângulo não conseguia reagir para passar na frente do placar. Na reta final, uma reação foi esboçada, sem sucesso. O Rexona cometeu 11 pontos, mostrando como o time da casa não fez bem seu papel, mesmo com o adversário tendo altos e baixos.

No terceiro set, o Praia continuou mostrando irregularidades. E, novamente, foi castigado. O Rexona aproveitou as deixas e fez 13 a 6, ficando muito perto da vitória em sets diretos.

Com o Rexona sem acertar o passe, a diferença caiu para dois pontos no 14 a 12, fazendo a esperança voltar a aparecer para a torcida uberlandense.

Não demorou para o time de Bernardinho voltar a mostrar o que sabe para abrir quatro pontos e jogar uma ducha de água fria nas donas da casa.

Foi questão de tempo para o término do jogo. Novamente, o Praia tentou o que podia nos últimos minutos, mas a equipe do Rio de Janeiro já havia encaminhado sua vitória.