MP lança guia para promover belezas naturais de Minas

Além do caráter turístico, o Guia de Parques de Minas Gerais também traz alertas sobre a necessidade do turismo ecologicamente responsável

iG Minas Gerais | BERNARDO ALMEIDA |

O Ministério Público de Minas Gerais (MPMG) lançou nesta segunda-feira (15) o “Guia de Parques Estaduais de Minas”, uma explicação detalhada sobre cada uma das 91 Unidades de Conservação do Estado. A publicação inédita busca dar visibilidade ao potencial turístico das belezas naturais de Minas.

Com 256 páginas, o guia traz atrações, sugestões de trilhas e atividades ao ar livre, além de curiosas histórias de 16 parques estaduais e duas grutas. Todas as informações foram coletadas junto a oito servidores do Instituto Estadual de Florestas (IEF). Além de informações básicas, como horário de funcionamento e valor de entrada dos parques, o livro tem uma explicação sobre os biomas que compõem cada região. “Minas engloba áreas de Cerrado, Mata Atlântica e Caatinga, então, os parques têm atrações diversas, que atendem todos os gostos”, explica o diretor de áreas protegidas do IEF, Henri Collet.

Atualmente, segundo o IEF, 300 mil pessoas visitam as 18 áreas abertas ao público. “Temos capacidade de subir este numero para 1,5 milhão de turistas por ano”, calcula Collet. “E esperamos abrir 22 novos parques nos próximo três anos”, garante Collet.

Dentro do guia, são apresentados casos curiosos, como as lendas do Rola-Moça e da gruta do Rei do Mato. Sítios de inscrições rupestres nos parques Lapa Grande e do Sumidouro e as aves pavó, no parque Nova Baden, também estão presentes. Uma mapa auxilia na localização das Unidades de Conservação mineiras, e das estradas que dão acesso aos locais. “O objetivo é mostrar a turistas e moradores que, enquanto eles estão indo para um parque, podem estar passando próximo a outro”, diz Collet.

O guia foi financiado pelo Ministério Público com recursos de compensações ambientais, cobradas pelo órgão, e pode ser solicitado por meio do site da editora Horizonte (www.edhorizonte.com.br/guiaparquesmg), tendo apenas o frete como custo, em valores que variam de acordo com a região. A solicitação foi aberta ao público na última sexta-feira e, da tiragem de 2.000, 300 guias já foram requisitados.

Guia também traz alertas sobre a necessidade do turismo ecologicamente responsável

Um estudo de 2005, elaborado pelo Instituto Estadual de Florestas (IEF) em parceria com a Universidade Federal de Lavras (UFLA), em 2005, revelou que restam somente 33,8% da cobertura vegetal nativa em Minas Gerais, sendo 57% de Cerrado, 41% de Mata Atlântica e 2% de Caatinga. Um dos tópicos do guia é a prevenção a incêndios. Um balanço parcial do Instituto Nacional de Pesquisas Especiais (Inpe) registrou recorde de focos no estado no mês de outubro (4.735), período de maior calamidade no ano. “Nossa estimativa é que esse ano a área devastada dentro das unidades de conservação tenha sido o dobro do ano passado, quando perdemos 12 mil hectares. E isso é resultado do número maior de incêndios em todo o estado, devido à falta de chuvas atípica ao longo do ano”, diz Henri Collet, diretor de áreas preservadas do IEF.

Quem não conseguir ter acesso ao “Guia de Parques de Minas” também poderá obter as informações em um aplicativo de celular, que deve ser lançado em meados de janeiro.

Leia tudo sobre: Clique para inserir palavras chave