Sony adverte jornalistas a não divulgarem informações vazadas

Estúdio pede a imprensa que destrua qualquer informação sigilosa obtida pelos dados roubados; hackers prometem 'presente de Natal'

iG Minas Gerais | GUILHERME ÁVILA |

Hackers autointitulados de
FREDERIC J. BROWN/AFP Getty Images
Hackers autointitulados de "Guardians of Peace" invadiram os computadores da Sony em novembro
Advogados da Sony enviaram uma carta a jornalistas nesta segunda (15), advertindo-os a não utilizar documentos do estúdio que tenham sido roubados e divulgados por hackers. O estúdio pede a imprensa que destrua qualquer informação obtida após o vazamento dos documentos, ocorrido no dia 24 de novembro, quando hackers invadiram os computadores da Sony. "Estamos escrevendo para assegurá-los de que a Sony Pictures Entertainment não consente na possessão, revisão, cópia, disseminação, publicação, download ou qualquer outro uso das informações roubadas", diz uma carta divulgada pela revista "Variety" e o jornal "The New York Times".   O comunicado é assinado por David Boies, um advogado proeminente nos EUA, tendo representado o vice-presidente Al Gore quando ele exigiu a recontagem de votos na corrida presidencial contra George Bush em 2000. Entre os documentos vazados estão orçamentos de filmes, o roteiro do novo 007 e e-mails trocados entre executivos de alto escalão, alguns deles envolvendo comentários constrangedores sobre como Angelina Jolie e Leonardo DiCaprio, e até sobre o presidente Barack Obama.      Sony Leaks Autointitulado de "Guardians of Peace", o grupo de hackers que invadiu os computadores da Sony Pictures em 24 de novembro passou a divulgar informações sigilosas do estúdio desde então. Até agora não foi descoberto quem está por trás do ataque, mas há suspeitas de que ele esteja ligado à Coreia do Norte. O país é contrário ao lançamento do filme "A Entrevista", comédia na qual James Franco e Seth Rogen interpretam dois jornalistas contratados pela CIA para matar o líder norte-coreano Kim Jong-un.    O governo norte-coreano, no entanto, negou envolvimento nos vazamentos, que chamou de "obras da justiça". Investigadores do FBI também apontaram que não há evidências de que o ataque tenha partido de Pyongyang. O longa "Corações de Ferro", com Brad Pitt, e o musical "Annie", com Jamie Foxx, estão entre os filmes inéditos que foram divulgados pelos hackers. Além de informações pessoais e folhas de pagamentos de artistas, estima-se que o prejuízo total da Sony possa ser de mais de US$ 100 milhões.    Os hackers agora prometem vazar ainda mais informações caso a Sony não obedeça seus pedidos. "Estamos preparando um presente de Natal para vocês que será maiores quantidades de dados. E será interessante. Certamente lhes dará muito mais prazer e colocará a Sony Pictures em pior estado. Por favor, enviem um e-mail intitulado de 'Merry Christmas' e nos diga o que querem em nosso presente de Natal", disseram os "Guardians of Peace" em um post recente.  

Leia tudo sobre: Clique para inserir palavras chave