Laís Souza apresenta melhora e diz querer andar na Olimpíada do Rio

Evolução acontece dez meses após a lesão da Laís, que agora tem sensibilidade nos pés e na região sacral, pouco abaixo da linha da cintura

iG Minas Gerais | FOLHAPRESS |

Agora, Lais realiza terapia de ressocialização, para que possa seguir com sua vida normalmente
Reprodução/Instagram
Agora, Lais realiza terapia de ressocialização, para que possa seguir com sua vida normalmente

A ex-ginasta Laís Souza, 26, que ficou tetraplégica após sofrer acidente de esqui nos Estados Unidos, apresentou evolução no seu quadro clínico e melhora na lesão da medula, disse nesta segunda feira (15), o médico médico da Universidade de Miami Dr. Antonio Mattos Jr. "Tenho o prazer de informar que o último exame mostrou que a Laís converteu a lesão de completa para incompleta. Isso diz que ela não teve uma secção completa da medula. Ninguém passou um facão e cortou a medula dela. Hoje ela tem sensibilidade, tem evoluído muito na parte sensitiva Essa foi uma grande conquista", disse em entrevista coletiva o médico da ex-ginasta. Segundo Mattos, a evolução abre novas possibilidades de tratamento para a ex-ginasta. "Essa mudança muda tudo porque agora ela passa a ser candidata a outros protocolos e tratamentos, todos eles inovadores em vários centros do mundo. E o próximo passo seria uma parceria que estamos estudando entre Universidade de Miami, o Centro Universitário de São Paulo. A ideia é que consigamos um novo protocolo entre Brasil e Estados Unidos para que ela consiga evoluir", disse Mattos. A evolução acontece dez meses após a lesão da Laís, depois da terceira injeção de células-tronco no último exame. De acordo com o médico da ex-ginasta, agora, Laís tem sensibilidade nos pés e na região sacral, pouco abaixo da linha da cintura. "Todas as funções abaixo da lesão não funcionam. No caso da passagem, ela passou a ter sensibilidade na região sacral, que são as regiões S4 e S5. Ela tem uma sensibilidade fina nos pés hoje. As vias sensitivas estão passando através da lesão. Isso mostra que tem possibilidade. Tem muito trabalho pela frente", disse Mattos. Com melhora no seu quadro clínico, Laís diz não querer se afastar da ginástica. "Com certeza eu me imagino bem próximo da ginástica, é o esporte que eu amo. Quero estar próximo do esporte e até brinco que eu quero entrar andando nesta Olimpíada", disse Laís Souza. Ex-ginasta, Lais se acidentou no dia 27 de janeiro, esquiando, quando se preparava para competir nos Jogos Olímpicos de Inverno de 2014, que foram disputados em Sochi, na Rússia. Ela já havia participado das olimpíadas de 2004 e 2008 na ginástica artística e, em Sochi, competiria no esqui aéreo. Em um treinamento, Lais se chocou contra uma árvore, lesionou a coluna e ficou paralisada do ombro para baixo.

Leia tudo sobre: EntrevistaLais Souzalesaoex-ginastarecuperacaomelhoraRio 2016