Carro abandonado vira depósito de lixo e incomoda moradores

Projeto de Lei que permitirá a remoção destes veículos deve ser votada na Câmara Municipal de Belo Horizonte no começo de 2015

iG Minas Gerais | EDUARDO GREBLER |

Carro virou depósito de lixo em rua paralela à avenida Raja Gabáglia
EDUARDO GREBLER / WEB REPÓRTER
Carro virou depósito de lixo em rua paralela à avenida Raja Gabáglia

Há muito tempo venho reclamando de um carro abandonado na esquina da rua Cachoeira de Minas com rua Vereda do Paraíso, no bairro Gutierrez, na região Oeste de Belo Horizonte.

O Fiat Tempra está no local há mais de um ano e já se encontra todo depenado. Atualmente, a carcaça virou depósito de lixo, o que incomoda muito aos moradores da rua, que fica paralela à avenida Raja Gabaglia, na altura do Tribunal de Contas do Estado.

Apesar das inúmeras tentativas, não conseguimos que o veículo seja removido. Não é só aqui, Belo Horizonte está parecida com Bagdá. Será que, com as fotos publicadas no Portal O Tempo, a BHTrans ou a Prefeitura se dignarão a removê-lo?

Resposta

De acordo com a BHTrans, veículos abandonados só podem ser removidos se estiverem cometendo alguma infração de trânsito, como por exemplo se estiver em local de estacionamento proibido. Como se trata de um patrimônio, sem o cometimento do crime, não existe nenhuma legislação que preveja a remoção dos mesmos.

Há algum tempo iniciou-se na Câmara Municipal de Belo Horizonte as discussões sobre o assunto, sendo que o vereador Veré da Farmácia (PTdoB) já é autor do Projeto de Lei 546/2013, que já tramita há mais de um ano.

Ainda de acordo com o parlamentar, várias reuniões periódicas já foram feitas com a Prefeitura de Belo Horizonte para evitar qualquer risco do projeto não ser sancionado pelo prefeito. "Espero que no começo de 2015 ele vá para votação de plenário", afirmou Veré da Farmácia.

Com a nova lei, fiscais serão encaminhados aos locais após receberem a denúncia de abandono e tentarão localizar o proprietário dos veículos. Caso não consigam, um adesivo será colado no carro avisando que em dez dias ele será removido.

Caso o dono do carro não o retire do local, o veículo abandonado será rebocado e levado para o pátio, sendo que ele deverá arcar pela remoção e diárias além de ser multado pela não remoção. Após 90 dias, a propriedade será vendida em leilões ou como sucata, dependendo do estado em que se encontrava.

"O Cefet pretende abrir uma fábrica de sucadas que fará o tratamento justamente de veículos. Acredito que no futuro pode vir a surgir uma parceria entre a prefeitura e o centro de ensino", finalizou o vereador.

Leia tudo sobre: carroabandonadogutierreztempra