Isenção de impostos do etanol deve ser votada nesta segunda-feira

Órgãos se mobilizaram por causa da demora em votar as suplementações orçamentários; por isso a isenção do etanol, que travava a pauta, será votada em sessão extraordinária

iG Minas Gerais | TÂMARA TEIXEIRA |

Como não houve consenso em relação a suplementação orçamentária para ser votada na Assembleia Legislativa de Minas Gerais (ALMG), uma reunião na manhã desta segunda-feira (15) mobilizou o presidente da Casa Diniz Pinheiro, o futuro líder do governo Pimentel, Durval  Ângelo, o coordenador da equipe de transição Marco Antônio Rezende, e os presidentes do Tribunal de Contas do Estado (TCE), Tribunal de Justiça de Minas Gerais (TJMG), Defensoria Pública, o Ministério Público de Minas Gerais (MPMG) e a própria ALMG.

O motivo é que os órgãos citados tem suplementação orçamentária  para serem votadas na Casa e, como há cinco meses a ALMG não vota em nada sobre o assunto, os órgãos foram reunidos para sensibilizar os deputados sobre a importância da pauta.

Ficou acordado na reunião que em uma sessão extraordinária a ser realizada na noite desta segunda-feira (15) será votado o projeto que prevê a isenção de impostos do etanol que travava a pauta, e logo depois serão votados os nove vetos e as suplementações orçamentárias.

Para viabilizar o acordo entre oposição e base, foram retiraram 32 das 33 emendas que o Estado havia incorporado ao projeto de isenção do etanol. A única emenda que restou foi sobre o recurso da Minas Caixa, um fundo de pensão dos ex-funcionários.

A partir desta terça-feira (16) a pauta volta a ficar trancada novamente por conta de um projeto da Polícia Militar que prevê remanejamento de cargos. Não houve acordo com relação ao projeto que previsa aumento de 4,6% aos servidores do Estado, e os demais cerca de 40 projetos que travavam a pauta ainda estão na fila. 

Leia tudo sobre: Clique para inserir palavras chave