Quarenta anos de simpatia

Mercado distrital comemorou ontem quatro décadas de serviços aos moradores da Centro-Sul

iG Minas Gerais | Vinícius Lacerda |

Festa. Clientes que foram ao estabelecimento puderam saborear bolo que marcou o aniversário
Lincon Zarbietti / O Tempo
Festa. Clientes que foram ao estabelecimento puderam saborear bolo que marcou o aniversário

Um bolo de 40 quilos, barracas da Feirinha Aproxima, música ao vivo com o quarteto Quatro em Ponto e a entrega de placas em homenagem aos lojistas foram as ações realizadas para comemorar os 40 anos do Mercado Distrital do Cruzeiro neste domingo. Parte do patrimônio de Belo Horizonte, o local é um dos pontos de encontro e de abastecimento da cidade, além de sediar eventos gastronômicos.

“O mercado foi construído com um pé direito muito grande, que gera um ambiente agradável. Além disso, os produtos ofertados são de extrema qualidade. Tudo isso é desfrutado tanto por moradores da capital quanto por turistas”, afirma a presidente da Associação de Moradores do Bairro Cruzeiro (Amoreiro), Patrícia Caristo, 57.

Mais que um lugar de compras, o mercado é um local onde manifestam-se relações afetivas cada vez mais raras em cidades de grande porte. “Eu venho aqui com o meu pai desde criança e, até hoje, só faço compras aqui. Conheço todo mundo, ligo e peço para separar alguma coisa, tenho um grande carinho por todos”, conta a estilista Liana Fernandes.

Quem concorda com ela é a comerciante Darci Aparecida Diniz, 56. Ela trabalha no mercado desde os 15 e herdou a loja da mãe. “É uma verdadeira satisfação estar aqui, pois fiz grandes amizades (nesse momento, um cliente apareceu, ela o chamou pelo nome e, como ele não tinha dinheiro trocado, disse que ele para pagar depois). Então, meus clientes são amigos, e isso é muito raro hoje em dia”, confessa.

Atualmente, 45 lojistas operam no mercado vendendo legumes, verduras, frutas, especiarias, carnes e mantimentos em geral. Um dos primeiros foi Francisco Vasconcelos Caetano, 70, que ressalta outro importante papel desempenhado pelo local. “Aqui é uma espécie de respiro em meio a todos esses prédios. Se construir algo aqui, é possível influenciar até na temperatura da região”, diz.

O temor de interferência no funcionamento do mercado é algo que Caetano convive desde 1974, quando o estabelecimento abriu as portas. “Nos primeiros anos foi muito difícil, por causa da intervenção militar. Lembro que se atrasássemos dez minutos para abrir, eles (militares) fechavam o box e não podíamos trabalhar mais naquele dia”, relata o comerciante.

Em 2007, houve a tentativa de fechar o mercado, impedida pelas mobilização de comerciantes e moradores do entorno. Três anos depois, a Prefeitura de Belo Horizonte, responsável pelo espaço, quase permitiu que o local fosse transferido para construção de dois hotéis, um shopping center e um estacionamento. “A partir daí, começamos um diálogo com a prefeitura para que todas as modificações no mercado sejam discutidas e aprovadas pela comunidade. Fizemos um voto de confiança que está sendo cumprido até agora”, conta Patrícia.

Localização

Detalhes. O Mercado fica na rua Ouro Fino, 452, Bairro Cruzeiro, em Belo Horizonte. Informações sobre o local e eventos de gastronomia e artesanato são dadas pelo telefone (31) 3223-7844.

Leia tudo sobre: Clique para inserir palavras chave