Com ondas de mais de 5 metros, etapa de surfe no Havaí é adiada

O campeonato começou às 8h20 da manhã no horário local (16h20 de Brasília) e foi paralisado por volta das 12h40 (20h40 de Brasília), logo depois da finalização da repescagem

iG Minas Gerais | Folhapress |

USA - SURFE/CIRCUITO MUNDIAL/KELLY SLATER - ESPORTES - O surfista norte-americano Kelly Slater durante sua bateria de repescagem no segundo dia   de competição do Billabong Pipe Masters, última etapa do Circuito Mundial de Surfe (WCT),   na praia de Pipeline, na Ilha de Oahu, no Havaí, EUA, neste sábado.   13/12/2014 - Foto: MÁRCIO FERNANDES/ESTADÃO CONTEÚDO
ESTADÃO CONTEÚDO
USA - SURFE/CIRCUITO MUNDIAL/KELLY SLATER - ESPORTES - O surfista norte-americano Kelly Slater durante sua bateria de repescagem no segundo dia de competição do Billabong Pipe Masters, última etapa do Circuito Mundial de Surfe (WCT), na praia de Pipeline, na Ilha de Oahu, no Havaí, EUA, neste sábado. 13/12/2014 - Foto: MÁRCIO FERNANDES/ESTADÃO CONTEÚDO

A organização da última etapa do Mundial de surfe, realizada na praia de Pipeline, no Havaí, decidiu adiar a competição neste sábado (13) por causa das condições do mar.

O campeonato começou às 8h20 da manhã no horário local (16h20 de Brasília) e foi paralisado por volta das 12h40 (20h40 de Brasília), logo depois da finalização da repescagem.

A etapa deve voltar a ser disputada neste domingo (14), quando uma nova chamada será feita às 15h30 (de Brasília).

Neste sábado, com fortes ventos, as ondas chegaram a 18 pés (5,5 metros) e tornaram o mar perigoso para o surfe. O sul-africano Jordy Smith, 26, chegou a machucar o ombro durante uma bateria da repescagem. Teve que abandonar a prova.

A previsão indica ondas de 12 a 17 pés (3,6 a 5,2 metros) no domingo.

Com esse adiamento, o campeonato só deve ser finalizado na segunda-feira (15), isso se as condições permitirem. A organização esperava terminar a etapa no domingo, mas não deve ter tempo suficiente.

O paulista Gabriel Medina, 20, que venceu a sua bateria na primeira rodada, na sexta-feira (12), poderia até ter sido campeão neste sábado, mas terá que esperar mais um pouco.

Na terceira fase, ele vai encarar o havaiano Dusty Payne, 25, por um lugar na quarta rodada. Os dois vão se enfrentar na sexta bateria.

Neste sábado, Medina, que luta para se tornar o primeiro brasileiro campeão mundial de surfe, viu o americano Kelly Slater, 42, passar pela repescagem ao derrotar o havaiano Reef McIntoshi, 38, e se classificar para a terceira rodada.

Medina pode ser campeão neste domingo se a etapa for mesmo realizada, mas, para isso, terá que torcer por derrotas de Slater e do australiano Mick Fanning, 33.

Se o brasileiro vencer a sua bateria, ele elimina o americano e terá só Fanning na briga pelo título, isso se ele ganhar na terceira rodada.

Leia tudo sobre: surfegabriel medinamundial de surfehavai