Falha em controle aéreo cancela mais de 30 voos em Londres

Sistema voltou a funcionar, mas muitos passageiros podem ser afetados por atrasos em alguns aeroportos até que a situação volte totalmente à normalidade

iG Minas Gerais | DA REDAÇÃO |

O aeroporto londrino de Heathrow, que tem o maior tráfego da Europa, se viu obrigado a cancelar 38 voos neste sábado (13) devido a uma falha de informática ocorrida nesta sexta-feira (12) em um centro de controle aéreo na Inglaterra, que provocou caos nos terminais aéreos.

O Serviço Nacional de Tráfego Aéreo britânico (NATS, na sigla em inglês) informou neste sábado que o sistema já está funcionando, mas muitos passageiros podem ser afetados por atrasos em alguns aeroportos até que a situação volte totalmente à normalidade.

Outros aeroportos, como de Gatwick, também em Londres, pediram neste sábado aos passageiros que entrem em contato com suas companhias aéreas para saber a situação de seus voos.

Milhares de passageiros se viram afetados na sexta por cancelamentos e atrasos de voos no Reino Unido por conta desta falha em um centro de controle aéreo no sul da Inglaterra.

As aterrissagens e decolagens ficaram restringidas em Londres e no sul do país durante mais de uma hora, por um erro técnico que o NATS ainda investiga.

Vários aeroportos se viram afetados, inclusive os escoceses de Aberdeen e Edimburgo, mas os maiores problemas ocorreram nos londrinos de Heathrow e Gatwick.

O ministro de Transporte britânico, Patrick McLoughlin, qualificou o problema de "inaceitável" e considerou que qualquer alteração no sistema de aviação do Reino Unido é "um assunto de grande preocupação, especialmente nesta época do ano".

"Uma alteração deste tipo é simplesmente inaceitável e pedi ao NATS uma explicação completa deste incidente. Também quero saber que passos serão tomados para impedir que isto volte a ocorrer", declarou McLoughlin aos meios de comunicação britânicos.

O NATS já descartou que a falha, que fez com que os controladores não pudessem visualizar em suas telas os dados necessários para vigiar o tráfego aéreo, tenha sido provocada por um ataque cibernético ou um problema no abastecimento elétrico.

FOLHAPRESS

Leia tudo sobre: Clique para inserir palavras chave