Reajuste é quase o dobro de salário

Professores da rede privada querem antecipar aumento salarial de abril para janeiro

iG Minas Gerais | Queila Ariadne |

Mais caro. 
Cada escola é livre para calcular o aumento, de acordo com planilha individual de custos
CHARLES SILVA DUARTE / O TEMPO
Mais caro. Cada escola é livre para calcular o aumento, de acordo com planilha individual de custos

O ano vai começar com mensalidades até 16% mais caras. Segundo os representantes das escolas, 75% desse custo é atribuído ao reajuste dos salários dos professores e demais funcionários, mas a categoria afirma que tem recebido aumentos muito menores. Segundo cálculos do Sindicato dos Professores do Estado de Minas Gerais (Sinpro-MG), de 2009 a 2014, enquanto as mensalidades subiram 81,86%, os salários foram corrigidos em 47,7%, ou seja, pouco mais da metade.  

O presidente do Sinpro-MG, Gilson Reis, destaca que, pela Lei 9870, cada escola tem o direito de apresentar uma planilha de custos, mas os gastos com salários da equipe é limitado a 35%. “Queremos deixar bem claro para a sociedade que o peso dos salários no custo das escolas é de no máximo 40%, já considerando os encargos. E não podemos ser os culpados pelo grande reajuste das mensalidades”, afirma Reis.

O presidente do Sinpro-MG destaca ainda que a forma como o aumento é praticado é injusta com os professores. “Em dezembro, a escola já comunica o aumento do ano seguinte e aplica em janeiro. Só que os professores, que têm a data-base em abril, só recebem o aumento em maio, com quatro meses de atraso”, questiona.

Para corrigir essa defasagem, o Sinpro-MG pretende propor que as escolas já paguem o aumento aos professores em janeiro. “Queremos discutir essa proposta com os sindicatos que representam as escolas, pois, se elas já fazem a projeção dos gastos do ano e recebem antes, nada mais justo do que repassar aos professores em janeiro também”, destaca Reis.

O presidente do Sindicato das Escolas Particulares de Minas Gerais (Sinep-MG), Emiro Barbini, afirma que o setor está aberto a negociar. “Eu considero a legislação ultrapassada, pois nós temos que prever os gastos do ano inteiro e, como a lei determina que as escolas só podem repassar os custos uma única vez, somos obrigados a fazer isso até dezembro. Mas nada impede de conversamos com os representantes dos professores, para discutirmos um acordo de antecipar o reajuste dos salários”, diz. Além dos salários, ele cita o peso dos investimentos em tecnologia.

Mensalidades X Reajuste salarial

Correção dos salários

2009: 6,43%

2010: 4,36%

2011: 8%

2012: 7,7%

2013: 7,5%

2014: 6,35%

Acumulado: 47,7%

2015 (previsão): 12,66%

Reajuste das mensalidades

2009: 8,5%

2010: 14%

2011: 10%

2012: 12,5%

2013: 9%

2014: 9%

Acumulado: 81.86%

2015 (previsã0): 12% a 16%

Leia tudo sobre: Clique para inserir palavras chave