Governo não deve ‘intrometer’

Candidato à presidência da Câmara dos Deputados diz que disputa é uma questão do Legislativo

iG Minas Gerais | Isabella Lacerda |

Embate.Por não contar com o apoio da bancada do PT, Eduardo Cunha deve disputar a presidência da Câmara com petista Arlindo Chinaglia
Lincon Zarbietti / O Tempo
Embate.Por não contar com o apoio da bancada do PT, Eduardo Cunha deve disputar a presidência da Câmara com petista Arlindo Chinaglia

Em encontro com parlamentares mineiros, nesta sexta, em Belo Horizonte, o candidato à presidência da Câmara dos Deputados Eduardo Cunha (PMDB-RJ) defendeu que não haja “intromissão” do governo federal e da presidente Dilma Rousseff na eleição da nova direção da Casa. Apesar de ser do PMDB, partido aliado do Planalto, Cunha não conta com o apoio da bancada do PT, que deve lançar Arlindo Chinaglia (SP). O PSDB ainda não definiu quem apoiar.

“Espero que ela (Dilma) reconheça que, caso haja disputa, essa é uma situação do Parlamento. Não é uma questão de governo, não tem que haver de ninguém uma intromissão”, declarou o peemedebistas antes do encontro que reuniu cerca de 20 deputados mineiros de partidos como PP, PR, PSDB, PSC, PTN, PT, e de toda a bancada federal do PMDB mineiro.

Durante o encontro, o candidato à presidência afirmou que considera “inevitável” a instalação de uma Comissão Parlamentar Mista de Inquérito (CPMI) na nova Legislatura para investigar a corrupção na Petrobras. Apesar de admitir ter “abandonado” a atual CPMI, que segundo ele perdeu o sentido devido às delações premiadas prestadas por acusados à Justiça, após o teor dos depoimentos virem à tona é normal que o Congresso queira continuar investigando. “E a CPMI é automática e não depende do presidente da Câmara”, destacou Cunha, que negou ser um candidato de oposição ao atual governo. “Minha candidatura não é de oposição, tampouco é submissa. Queremos uma Câmara independente.”

Viagens. A agenda de Eduardo Cunha em Belo Horizonte foi a 25ª visita do peemedebista a capitais brasileiras desde quando teve oficialmente seu nome lançado pela bancada. Até o momento, ele conta com os apoios do Solidariedade e do PSC. Nos próximos dias, o DEM também deverá aderir.

Nesta sexta, antes do encontro com os deputados, Cunha esteve com o prefeito de Belo Horizonte, Marcio Lacerda (PSB), com o governador Alberto Pinto Coelho (PP) e com o governador eleito, Fernando Pimentel (PT). O deputado, porém, tratou as agendas como “pessoais”.

Dos colegas de Câmara, o peemedebista ouviu apoios e também ameaças ao governo federal. “Se o governo tiver juízo, ele vai apoiar o Eduardo. Ele saberá reconhecer que o PMDB é governo”, disse Saraiva Felipe.

Conselho de Ética deverá abrir processo contra Bolsonaro Brasília. O Conselho de Ética da Câmara da Deputados marcou para a próxima terça-feira uma reunião para instaurar processo por quebra de decoro parlamentar do deputado Jair Bolsonaro (PP-RJ). Ele afirmou que não estupraria a deputada Maria do Rosário (PT-RS) porque ela não merecia. Na última quarta-feira, PT, PCdoB, PSB e Psol entraram com uma denúncia no Conselho contra o deputado por quebra de decoro parlamentar. Na reunião marcada para a próxima semana, será definido o relator da representação a partir de uma lista tríplice. Apesar de a legislatura terminar na próxima semana, líderes dos partidos acreditam que será possível manter o processo no órgão de controle no próximo ano.

Convocação O presidente do Congresso, senador Renan Calheiros (PMDB-AL), pretende convocar sessão para a próxima semana para votar a Lei de Diretrizes Orçamentárias (LDO) de 2015. Ele afirmou que tudo deve ser votado até dia 22, último dia de trabalho antes do recesso constitucional. Numa crítica ao Planalto, Calheiros disse que o governo talvez “prefira” não ver o Orçamento de 2015 aprovado agora, apenas a LDO, porque assim ele terá mais liberdade para gastar.

Leia tudo sobre: Clique para inserir palavras chave