Presos de Ipaba ganham medalhas em desafio internacional de matemática

Dois alunos ganharam medalha de ouro e outros três, prata; desafio reúne estudantes de 29 países

iG Minas Gerais | Da redação |

Dois alunos da escola que funciona dentro da Penitenciária Dênio Moreira de Carvalho, em Ipaba, no Vale do Rio Doce, ganharam medalha de ouro em um desafio matemático promovido pela Association Mathématiques Sans Frontières, que reúne 200 mil estudantes de 29 países. Outros três detentos ganharam medalhas de prata e todos eles foram homenageados no auditório do colégio instalado na unidade prisional.

A professora e diretora Lila Martins da Silva tomou conhecimento do desafio pela internet e decidiu inscrever os alunos. Ela conta que o coordenador do evento ficou surpreso com o fato da escola funcionar dentro de uma unidade prisional, porque nunca havia recebido um pedido de inscrição desta categoria de instituição de ensino. A escola, que atualmente tem 12 detentos cursando o ensino superior a distância, já conquistou diversos prêmios: obteve menção honrosa na Olimpíada Brasileira de Matemática em 2005, 2006, 2007 e 2008 e ainda na Olimpíada Canguru de Matemática Sem Fronteiras, realizada pelo Departamento de Matemática da Faculdade de Ciências e Tecnologia da Universidade de Coimbra.

Desafio Frank Zappa Oliveira Araujo, de 25 anos, ganhou a medalha de ouro na Olimpíada Mathématiques Sans Frontières. O preso revelou ser apaixonado por matemática, apesar da grande queda por história. Este ano, ele se forma na 5ª série e pretende continuar estudando. Ele chegou à unidade prisional em janeiro deste ano e não perdeu tempo em procurar a escola. Nos primeiros dias de aula foi reconhecido pela diretora e pela professora Lila, com quem aprendeu a ler e escrever, aos seis anos de idade. A prova tem uma grande variedade de conteúdo e explora diferentes competências, como a capacidade de observação e raciocínio, a imaginação, o espírito dedutivo e a intuição. As questões apresentam características concretas, abstratas e lúdicas, mas frequentemente com um tom de humor. No Brasil, a olimpíada é organizada pela Rede do Programa de Olimpíadas do Conhecimento (Rede POC), programa mantido pelo Instituto de Olimpíadas do Conhecimento. O evento tem o apoio do Conselho Nacional de Secretários da Educação, da Faculdade de Ciências Exatas e Tecnologia da Universidade Metodista de São Paulo, do Consulado Geral da França em São Paulo e do Centro de Estudos e Pesquisas em Educação, Cultura e Ação Comunitária da Fundação Itaú Social (Cenpec).  Este ano, em sua quarta edição no Brasil participaram mais de 1.400 classes de 150 escolas de 16 estados (AL, CE, GO, MA, MG, MS, PA, PB, PE, PI, PR, RJ, RN, RS, SP, SC), além do Distrito Federal, totalizando mais de 30 mil estudantes de escolas públicas e privadas do quarto ano do Ensino Fundamental à terceira série do Ensino Médio. Receberam as medalhas de ouro os alunos Frank Zappa Oliveira Araújo e Valdeir Lopes Nunes. As medalhas de prata foram entregues para Patrik Junio da Silva, Marcos de Andrade Silva e Weverton Silva Pinho.    Solenidade A entrega das medalhas foi realizada nesta sexta, no auditório da escola, em festa, preparado pelos professores e alunos. Houve apresentação do coral dos alunos e um espetáculo de dança, também dos presos, inspirada no clipe Thriller de Michael Jackson. A coreografia e figurinos foram criados por eles. Também nesta sexta aconteceu a formatura de 19 alunos do Ensino Fundamental e dez alunos do Ensino Médio, na modalidade Educação de Jovens e Adultos (EJA), destinada aos jovens e adultos que não tiveram acesso ou não concluíram os estudos.

Leia tudo sobre: Clique para inserir palavras chave