Famílias da William Rosa conseguem construção de 500 casas em reunião

Proposta inicial da Ceasa e dos governos foi de construção de 400 casas, em 36 meses; famílias agora aguardam uma nova definição sobre o local do acampamento provisório

iG Minas Gerais | Bruna Carmona |

A contraproposta de construção de 500 casas para as famílias da ocupação William Rosa, em Contagem, na região metropolitana de Belo Horizonte, foi aceita pelos representantes da CeasaMinas, da prefeitura de Contagem e do governo estadual que participaram de uma reunião de negociação com os moradores na tarde desta sexta-feira (12).

“Eles acataram a nossa contraproposta e vão redigir uma minuta na qual concordam com ela”, explicou Lacerda Amorim, um dos responsáveis pela ocupação. No entanto, segundo Amorim, as famílias ainda aguardam uma resposta sobre o local onde as famílias ficarão acomodadas enquanto as casas são construídas.

Uma das exigências dos moradores para deixar o terreno da CeasaMinas de forma voluntária é que as autoridades ofereçam uma área segura para a montagem de um acampamento provisório. Segundo Amorim, foi marcado um novo encontro para a próxima quarta-feira (17), quando representantes da prefeitura, CeasaMinas e do governo estadual vão apresentar uma proposta para solucionar a questão.

A proposta apresentada inicialmente pelo Governo Federal, Ceasa e Prefeitura de Contagem foi um projeto que oferece a construção de 400 casas em dois terrenos, localizados nas regionais Ressaca e Nova Contagem, no prazo de 36 meses, com recursos do Minha Casa, Minha Vida.

A prefeitura de Contagem informou, em nota, que está acompanhando as negociações e se colocou a disposição para ajudar os governos estadual e federal no que for necessário.   

Leia tudo sobre: Clique para inserir palavras chave