Ex-campeão olímpico fala em paralisação da Superliga em rede social

Atletas com passagens pela seleção brasileira estão inconformados com as notícias de corrupção veiculadas pela ESPN

iG Minas Gerais | FOLHAPRESS |

Após relatório da Controladoria-Geral da União (CGU) comprovar irregularidades na gestão de dinheiro público na Confederação Brasileira de Vôlei (CBV), jogadores com passagem pela seleção brasileira se revoltaram com as denúncias e falam em parar a Superliga, principal competição da modalidade no país.

A auditoria foi feita pelo órgão do governo federal depois de denúncias feitas pela ESPN Brasil desde o início do ano. "E nós atletas, o que vamos fazer? Paralisar a Superliga ou vamos deixar como está? E os clubes, vão assumir a gestão ou vão se calar?", escreveu Gustavo no Twitter, campeão olímpico em Atenas-2004 e prata em Pequim-2008, e atualmente no Canoas. "Ou eles resolvem dar as caras ou a gente para a Superliga. Eu não jogo vôlei pra sustentar falcatruas", postou o ponteiro Lipe, do Taubaté, integrante da seleção brasileira na Liga Mundial e na Copa do Mundo. "E o pior, o cara ta comandando a entidade máxima mundial Sabe Deus o que acotece por lá!", continuou Lipe citando Ary Graça, ex-presidente da CBV e hoje mandatário na Federação Internacional de Vôlei (FIVB). Já o levantador Bruninho afirmou "e nós não vamos nos calar!!!" Outro que se mostrou indignado foi Murilo Endres. "Por favor não me venham com nota oficial pra comentar sobre a matéria é hora de dar as caras e se explicar!!", postou. Logo após a divulgação do relatório da da Controladoria-Geral da União (CGU) comprovar as irregularidades, o Banco do Brasil suspendeu o patrocínio ao vôlei, que já durava 23 anos. O acordo vigente da CBV com a instituição tem duração até 30 de abril de 2017 e prevê confidencialidade. A Folha de S.Paulo apurou que o valor pago anualmente à confederação é de R$ 70 milhões. A 602 dias do início dos Jogos Olímpicos do Rio, o vôlei é considerado chave para o Brasil chegar à meta de ao menos 27 medalhas e um lugar no top 10 geral. Na história, vôlei de quadra e praia têm 20 conquistas olímpicas.

Leia tudo sobre: Voleicorrupcaojogadoresrevoltadospararsuperligaselecaoescandalo