Famílias da Willian Rosa querem 500 moradias para deixar terreno

Decisão foi tomada em assembleia na noite dessa quinta-feira (11); moradores querem, ainda, alternativa até que as unidades habitacionais fiquem prontas

iG Minas Gerais | Fernanda Viegas |

As famílias da ocupação Willian Rosa, em Contagem, na região metropolitana de Belo Horizonte, decidiram, na noite dessa quinta-feira (11), aceitar a proposta apresentada pelo governo para o realocação das famílias, que atualmente vivem em um terreno das Centrais de Abastecimento de Minas Gerais (CeasaMinas).

Contudo, de acordo com Lacerda Amorim, que é um dos representantes da ocupação, os moradores só deixarão o terreno caso haja uma segurança de acomodação, enquanto as unidades habitacionais não fiquem prontas.

"Aceitaremos sair do terreno de modo voluntário, caso tenha uma alternativa para todas as famílias. São 500 famílias. Então, queremos a oferta de moradia para todas elas e uma alternativa enquanto elas não ficam prontas. Só aceitaremos se for por completo este acordo", justificou.

A proposta apresentada inicialmente pelo Governo Federal, Ceasa e Prefeitura de Contagem foi um projeto que oferece a construção de 400 casas em dois terrenos, localizados nas regionais Ressaca e Nova Contagem, no prazo de 36 meses, com recursos do Minha Casa, Minha Vida.

Procurada pela reportagem, a assessoria da Ceasa informou que só vai se posicionar quando os moradores da ocupação derem uma resposta oficial sobre a proposta. A prefeitura de Contagem ainda não se manifestou sobre o caso.

Leia tudo sobre: ocupaçãoWillian RosaterrenoCeasa Minasfamíliadesocupação