PM suspeito de matar ex é aguardado para trabalhar nesta sexta-feira

Cabo, que presta serviço para batalhão de Ribeirão das Neves, está escalado para esta manhã; após o crime, militar ainda não foi localizado

iG Minas Gerais | CAROLINA CAETANO |

Camila estava a caminho do trabalho quando foi baleada e morta
FACEBOOK / REPRODUÇÃO
Camila estava a caminho do trabalho quando foi baleada e morta

O cabo da Polícia Militar suspeito de matar covardemente a ex-namorada, uma jovem de 22 anos, ainda não se apresentou à corporação e é aguardado para trabalhar, na manhã desta sexta-feira (12), em uma companhia de Ribeirão das Neves, na região metropolitana de Belo Horizonte.

O militar, que estava de folga nessa quinta-feira (11), dia em que aconteceu o crime, está escalado para pegar serviço às 8h30. Ele trabalha dentro da companhia do 40º Batalhão. Após o assassinato de Camila Francine da Silva do Amaral, ninguém teve mais notícias do policial.

A reportagem de O TEMPO tentou contato com o comandante responsável pelo suspeito, mas foi informada que ele também pegar serviço às 8h30.

Na manhã dessa quinta, Camila foi morta a tiros no bairro Nacional, em Contagem, também na Grande BH. A mulher seguia para o trabalho quando foi abordada na rua Pedro Álvares Cabral. Em conversa com a irmã antes da chegada de uma viatura, a vítima contou que o ex-namorado, com quem manteve um relacionamento por um ano, seria o autor dos disparos.

Camila chegou a ser socorrida para uma Unidade de Pronto Atendimento (UPA), mas não resistiu aos ferimentos. O namoro teria terminado há cerca de quadro meses, depois que a jovem descobriu que o cabo criou um perfil falso no Facebook para vigiá-la.

O corpo da jovem será sepultado em um cemitério de Contagem nesta sexta.

Leia tudo sobre: POLICIALMORTEEX-TIROSNACIONALRIBEIRÃO DAS NEVES