Um terço dos deputados de MG não ajudou a cassar Vargas

Os outros cinco petistas mineiros não foram

iG Minas Gerais |

Em meio às graves denúncias na Petrobras, que envolvem o doleiro Alberto Youssef, a cassação do deputado federal André Vargas (sem partido), que se confirmou na quarta-feira, era uma questão de honra para a Câmara Federal. Afinal, o parlamentar é acusado de envolvimento com o doleiro. Mas para pelo menos 19 deputados mineiros, a sessão extraordinária convocada há dias para tratar do processo não era tão importante assim. Eles se ausentaram do dever de julgar seu colega. Com isso, o nível de presença da bancada mineira na importante sessão ficou abaixo da média geral da Câmara.

No total, 367 dos 513 deputados compareceram, ou 71,53% do total. Já considerando apenas a bancada mineira, só 34 dos 53 estiveram por lá, ou 64,15% do total. Entre os faltantes, destaque para a bancada do PT, antigo partido de André Vargas. Só quatro dos nomes ex-companheiros do agora deputado cassado contribuíram com sua cassação. Os outros cinco petistas mineiros não foram.

Quase todos os outros faltantes, a exceção de dois, fazem parte de partidos da base aliada. Eis os nomes dos mineiros que não apareceram para cassar André Vargas: Ademir Camilo (PROS), Antonio Andrade (PMDB), Bernardo Santana (PR), Carlos Melles (DEM), Fábio Ramalho (PV), Geraldo Thadeu (PSD), Jaime Martins (PSD), José Humberto (PSD), Leonardo Monteiro (PT), Lincoln Portela (PR), Luis Tibé (PTdoB). Margarida Salomão (PT), Mauro Lopes (PMDB), Miguel Corrêa (PT), Newton Cardoso (PMDB), Nilmário Miranda (PT), Odair Cunha (PT). Renzo Braz (PP) e Walter Tosta (PSD).

Leia tudo sobre: Clique para inserir palavras chave