Com show do norte-americano Robby Collum, Minas bate o Franca

Mesmo com entrada gratuita, torcida não compareceu em peso para assistir o jogo na Arena Minas

iG Minas Gerais | THIAGO PRATA |

Esportes - Belo Horizonte, Mg. Naiane, levantadora do Minas e Lucas Salem, levantador do Sada, ambos de Belem do para tomam acai convidos pela redacao de O Tempo. Fotos: Leo Fontes / O Tempo - 11.12.14
Esportes - Belo Horizonte, Mg. Naiane, levantadora do Minas e Lucas Salem, levantador do Sada, ambos de Belem do para tomam acai convidos pela redacao de O Tempo. Fotos: Leo Fontes / O Tempo - 11.12.14

Nem mesmo com entrada gratuita, o Minas consegue encher seu ginásio nos jogos do time pelo Novo Basquete Brasil (NBB). Apenas 376 torcedores compareceram à arena para assistir ao triunfo da equipe mineira, em grande fase no torneio, sobre o Franca Basquete-SP, por 83 a 69, nesta quinta-feira.

Mas os poucos aficionados presentes foram brindados com uma bela apresentação do Minas, que se reabilitou da derrota para o Paschoalotto-Bauru-SP, e conferiram de perto o talento do norte-americano Robby Colum. Seja como ala ou como armador, o camisa 14 foi o maestro da orquestra minastenista.

Das mãos do gringo, surgiram 20 pontos, sendo o cestinha do clube anfitrião, e oito assistências.

Os donos da casa começaram melhor, impondo seu ritmo e contando com atuações inspiradas do armador Coelho e de Collum. Errando menos, o time minastenista construiu uma vantagem de cinco pontos no primeiro quarto: 19 a 14.

Na segunda parcial, o equilíbrio imperou, com o Franca mais focado e tendo a seu favor o pivô Coimbra esbanjando competência. Mesmo assim, o Minas conseguia se manter à frente do placar: 35 a 31.

A diferença aumentou no terceiro quarto, graças a mais uma grande participação do norte-americano Collum, fundamental para a vantagem ser ampliada em oito pontos: 60 a 52.

Uma cesta de três pontos de Collum no quarto set, que significou o 70º ponto do Minas na partida, a cerca de 5 min30 do fim, levou a torcida ao delírio e mostrou que a vitória seria mesmo do time mineiro. E foi isso o que aconteceu: 83 a 69.

Leia tudo sobre: minasbasqueteRobby Collumfranca