Relatório da CGU mostra sujeira da CBV; jogadores protestam

Diversas irregularidades foram apontadas no levantamento como contratação de empresas ligadas ao pessoal da CBV e pagamento de notas com descrição genérica

iG Minas Gerais | DANIEL OTTONI |

Alexandre Arruda/CBV
undefined

 

Tudo que se desconfiava foi, enfim, revelado. A sujeira na Confederação Brasileira de Vôlei (CBV) é maior ainda do que se imaginava.

Nesta quinta-feira, a Controladoria Geral da União (CGU) divulgou relatório final sobre as denúncias de irregularidades na entidade que rege o vôlei feitas pelo jornalista Lúcio de Castro, da ESPN Brasil. O Banco do Brasil, de imediato, já anunciou a suspensão dos pagamentos de contratos.

Diversas irregularidades foram apontadas. Licitações viciadas e favorecimentos são apenas a ponta do iceberg.

Os contratos da CBV com empresas de prestação de serviços de ex-colaboradores de entidade foram analisados a fundo. O que não faltam são falcatruas, prejudicando não somente o desenvolvimento da modalidade, como fazendo com que vários jogadores da seleção deixassem de receber o que era de seu direito.

O documenta cita, por exemplos, algumas situações como "contratação de empresas de consultoria sem que se consiga verificar a efetiva contraprestação do serviço; contratação de empresas sem estrutura física e de pessoal; contratação de empresas cujos proprietários são ou foram ligados à CBV; contratação de empresas do mesmo proprietário que executa e audita a prestação de serviço; pagamento de notas fiscais sequenciais que demonstram que a empresa comandada prestava serviço somente para a CBV; pagamento de notas fiscais com descrição genérica do objeto contratado, como ‘comissionamento' ou ‘assessoramento".

Enfim, o que não faltam são comprovações de um verdadeiro escândalo envolvendo o segundo esporte do país. Jogadores como Murilo, Gustavo, Bruninho e William não perderam tempo e se revoltaram em seus perfis no Twitter.

"Por favor não me venham com nota oficial pra comentar sobre a matéria é hora de dar as caras e se explicar! Pior é fingirem que está tudo bem ou que nada aconteceu", postou Murilo, que compartilhou, ainda, vários trechos do relatório.

A 'casa' da CBV parece ter caído de vez. E mais ainda promete vir à tona nos próximos dias. revelando um abuso e desrespeito com o esporte nacional.