Homem confessa ter matado 43 pessoas na Baixada Fluminense

Suspeito afirmou em entrevista que "matava por prazer" desde os 17 anos; de acordo com a polícia, ele matava apenas mulheres brancas a facadas ou esganadura

iG Minas Gerais | Folhapress |

 Preso na noite de terça-feira (10) em Nova Iguaçu (RJ) sob suspeita de ter assassinado Fátima Miranda, um homem confessou em depoimento à Polícia Civil do Rio ter matado 43 pessoas ao longo de nove anos, dos quais 39 mulheres.

Sailsson José das Graças afirmou, segundo a polícia, ser "matador profissional". Agentes da Divisão de Homicídios da Baixada Fluminense também prenderam Cleusa Balbina e José Messias, sob suspeita de serem os contratantes do homicídio de Fátima.

Em entrevista à TV Globo, exibida no "Bom Dia Rio" desta quinta-feira (11), Sailsson afirmou que o casal pagava suas despesas e lhe fornecia casa e comida, enquanto ele cometia assassinatos sob encomenda.

"Eles me bancavam. Era água, comida, teto, roupa nova, dinheiro. Em troca disso, a alma dos caras", disse ele.

O suspeito afirmou na entrevista que "matava por prazer" desde os 17 anos. De acordo com a polícia, ele matava apenas mulheres brancas a facadas ou esganadura. Ele afirmou que, ao matar uma das mulheres, assassinou também uma criança, filho da vítima, para evitar que o choro despertasse a atenção de vizinhos. Ele também matou três homens sob encomenda.

"Ficava observando as vítimas, estudando. Esperava um mês, às vezes uma semana, dependendo do local. Procurava saber onde ela mora, como era a família dela. Passava na casa dela, ficava estudando. Passava um tempo ia de madrugada, numa brecha da casa, aproveitava, entrava e...", afirmou à TV Globo.

Sailsson disse que tomava precauções antes de cometer os assassinatos, como usar luvas, verificar a presença de câmeras no local do homicídio e não portar documentos. Ele declarou não se arrepender dos assassinatos e afirmou que pretende cometer novos crimes quando sair da prisão. "Não me arrependo não. Para mim, o que tá feito, tá feito. Nada volta atras. Vou passar aqui uns dez anos, 15 anos... Depois vou voltar a fazer a mesma coisa."

O suspeito afirmou que começou a cometer crimes, como roubos, quando ainda criança, aos 14 anos. Cometeu o primeiro homicídio, segundo o relato, aos 17. "Deu aquela adrenalina", disse à TV. Sailsson e o casal foram presos após investigação sobre a morte de Fátima Miranda. Os três estiveram com a vítima na noite anterior do crime, terça. Eles apresentaram informações contraditórias sobre a vítima e acabaram conduzidos à delegacia para prestar depoimento. Ao falar com policiais, o suspeito relatou a série de crimes.

As outras vítimas de Sailsson, mortas sob encomendas, são Paulo Vasconcelos, 52, Raimundo Basílio da Silva, 60, e Francisco Carlos Chagas, 49. Paulo teria uma dívida de R$40 com Cleusa e Carlos teria roubado o celular dela.

Ainda não se sabe a motivação para o assassinato de Raimundo. Já o de Fátima teria sido uma briga pessoal dela com Cleusa. Todas as vítimas foram mortas a facadas. A Divisão de Homicídios afirma ter localizado quatro inquéritos relativos a crimes cometidos por Sailsson. Policiais tentam identificar as demais vítimas.

Leia tudo sobre: Clique para inserir palavras chave