Primeira manifestação de general na ativa chama relatório de "leviano"

Segundo jornal paulista, em nota. general Sérgio Etchegoyen e sua família relatam que o documento apresentado pela CNV deixa clara as intenções de denegrir o trabalho de um cidadão

iG Minas Gerais | DA REDAÇÃO |

General do Exército Sérgio Etchegoyen, chefe do Departamento Geral do Pessoal atacou o relatório final divulgado pela Comissão da Verdade (CNV) na última quarta-feira (10). Segundo entrevista do jornal Estado de S. Paulo, o general que está na ativa, atualmente, o relatório da CNV é "leviano".

De acordo com documento obtido pelo jornal paulista, a Comissão da Verdade acusa o pai de Sérgio Etchegoyen, o general Leo Guedes Etchegoyen, por violar os direitos humanos durante o período da ditadura. Além do general, outros 376 militares também foram responsabilizados por crimes cometidos na época.

Em nota, divulgada pelo general Sérgio Etchegoyen e sua família, é relatado que o documento apresentado pela CNV deixa clara as intenções de denegrir o trabalho de um cidadão que já faleceu, inviabilizando qualquer chance de defesa.

A declaração do general é a primeira manifestação de um membro do Alto Comando do Exército que ainda atua na corporação a respeito do relatório final, divulgado na última quarta-feira (10) com os resultados das investigações da Comissão da Verdade. É raro quando oficiais da ativa expõem suas opiniões a respeito de questões políticas, devido as normas do Regulamento Disciplinar do Exército. Com isso, as manifestações partem mais dos militares da reserva. 

Leia tudo sobre: Clique para inserir palavras chave