Projeção de inflação para 2014 cai, mas previsão ainda supera meta

Banco Central reduziu a projeção para o IPCA de 2014 no cenário de referência em relação ao valor considerado na reunião de outubro, e a estimativa permanece acima do centro da meta de 4,5% fixada pelo Conselho Monetário Nacional

iG Minas Gerais | COM AGÊNCIAS |

O Comitê de Política Monetária (Copom) reduziu as projeções de inflação para 2014, nos dois cenários, e manteve estável para 2015. Segundo a ata divulgada nesta quinta-feira, 11, a despeito dessas perspectivas, os valores continuam acima do centro da meta (4,5%) definida pelo Conselho Monetário Nacional (CMN) em todos os cenários.

O Banco Central reduziu a projeção para o Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA) de 2014 no cenário de referência em relação ao valor considerado na reunião de outubro, e a estimativa permanece acima do centro da meta de 4,5% fixada pelo Conselho Monetário Nacional (CMN).

No cenário de mercado, a projeção de inflação para 2014 também caiu em relação ao valor considerado na reunião de outubro, e permanece acima da meta para o IPCA. Para 2015, a projeção ficou "relativamente estável" no cenário de referência e no de mercado - em ambos, no entanto, a projeção para o IPCA permanece acima da meta central de 4,5%.

No Relatório Trimestral de Inflação (RTI), divulgado no fim de setembro, o BC informou que a expectativa de inflação ao final de 2014, pelo cenário de referência, era de 6,3%, embora considerasse os juros em 11% ao ano. No cenário de mercado, a projeção do RTI para o final de 2014 era também de 6,3%.

O Copom revelou ainda que suas projeções para a inflação mostraram algum alívio apenas no início de 2016. Para os três primeiros trimestres, apesar de indicarem que a inflação entra em trajetória de convergência, tanto no cenário de referência quanto no de mercado, as projeções também apontam inflação acima da meta de 4,5% fixada pelo CMN.

Leia tudo sobre: ECONOMIAINFLAÇÃOPROJEÇÃOIPCABRASILPOLÍTICAMETASUPERAÇÃOCOPOM