Medina dorme antes das 22h no Havaí, e Fanning pratica yoga

Rivais nas ondas, o surfista brasileiro e o norte-americano dividem a mesma casa enquanto disputam a última etapa do Mundial de Surfe

iG Minas Gerais | FOLHAPRESS |

Com boa performance neste ano, Medina pode chegar ao inédito título da WTC para o Brasil
Reprodução Facebook
Com boa performance neste ano, Medina pode chegar ao inédito título da WTC para o Brasil

O paulista Gabriel Medina, 20, e o australiano Mick Fanning, 33, que lutam pelo título mundial de surfe, dividem a mesma casa na praia de Pipeline, no Havaí. Apesar de serem rivais na água, os dois vivem em clima de paz.

A residência, que é alugada pelo patrocinador dos dois surfistas, tem três andares e vista para o mar. Fica situada ao lado da tenda montada para o evento, na areia, e conta com segurança na porta.

A porta do quarto de Medina fica exatamente à frente da porta do quarto de Fanning. Ambos são grandes e possuem uma banheira cada um.

"Eu acho que eu o irrito mais do que ele me irrita, porque eu sempre acabo fazendo mais barulho do que ele", disse Medina em tom de brincadeira.

O brasileiro tem evitado contato com a imprensa para se concentrar na competição. Costuma sair e voltar muito cedo da casa para treinar. E vai dormir cedo também.

"Eu tomo meu café da manhã e vou surfar na frente da casa. Geralmente eu fico no quarto ou na sala de estar com meu pai e meu produtor de filme Henrique comendo. Depois surfo novamente pela tarde, janto e vou dormir antes das 22h", disse Medina.

"Às vezes, antes de surfar, eu me aqueço durante dez minutos, depois surfo, tomo um banho e fico no meu quarto com meu celular", afirmou.

Fanning também evita contato com a imprensa, mas sai mais da sua casa e foca em uma preparação leve.

"A minha rotina depende das ondas. Se elas estão boas, eu tomo um café rápido e vou lá [no mar]. Depois de uma onda eu tomo um café da manhã, geralmente frutas frescas e uma batida, e vou relaxar. Se não der para surfar, o que é raro no North Shore [do Havaí], eu tomo café e vou nadar", disse Fanning.

"O treinamento é bastante leve durante o evento. Se eu sei que a etapa vai acontecer nos próximos dias, eu posso fazer yoga para me manter solto", afirmou.

Medina lidera a classificação com 56.550 pontos, contra 53.100 de Fanning, segundo colocado. O americano Kelly Slater, 42, terceiro com 50.050 pontos, também ainda tem chance de título.

Leia tudo sobre: gabriel medinasurfehavaimundial de surfemick fanning