Relatório reduz previsão em R$ 18 bi

O governo ainda fixou em R$ 66,3 bilhões a meta de superávit primário - a economia feita para pagar juros da dívida pública e tentar manter a sua trajetória de queda - do setor público

iG Minas Gerais |

Brasília. A Comissão Mista de Orçamento do Congresso Nacional aprovou ontem o novo relatório do deputado Paulo Pimenta (PT-RS) que reduz em R$ 18 bilhões a receita bruta que a União prevê arrecadar em 2015. O relator, que havia previsto inicialmente aumento na arrecadação, teve que refazer seu texto após o governo federal revisar as projeções da econômica para o próximo ano.

Ontem, ele apresentou um adendo ao seu texto reduzindo em R$ 18 bilhões a estimativa inicialmente elaborada pelo Executivo . Com isso, a receita bruta para 2015 cai de R$ 1,447 trilhão para R$ 1,429 trilhão.

O novo relatório, segundo Pimenta, é mais “exequível” dada a revisão para baixo da estimativa de crescimento da economia brasileira em 2015, de 2% para 0,8%.

O governo ainda fixou em R$ 66,3 bilhões a meta de superávit primário - a economia feita para pagar juros da dívida pública e tentar manter a sua trajetória de queda - do setor público.

Ainda que tenha reajustado a receita para baixo, Pimenta afirmou que está garantida verba para o pagamento das emendas parlamentares individuais. Além do pagamento das emendas parlamentares, o relatório de receitas garante o aumento do repasse ao Fundo de Participação dos Municípios, para a Lei Kandir e para as novas desonerações fiscais propostas pelo Executivo.

Leia tudo sobre: Clique para inserir palavras chave