Nobel de 1967 pode recuperar sua medalha

Descobridor de estrutura em hélice do DNA havia vendido prêmio

iG Minas Gerais |

James Watson disse que vendeu a melhada por precisar de dinheiro
JAN ARKESTEIJN/COMMONS
James Watson disse que vendeu a melhada por precisar de dinheiro

Washington, EUA. O controverso geneticista norte-americano James Watson, que leiloou a medalha do Nobel que ganhou por US$ 4,75 milhões, poderá recuperar o prêmio, que lhe foi devolvida pelo comprador, o homem mais rico da Rússia, Alisher Usmanov.

“O comprador (...) Alisher Usmanov comprou a medalha para devolvê-la ao dono”, anunciou ontem, em um comunicado, a holding USM, pertencente ao magnata da metalurgia e da internet, que tem uma fortuna estimada pela revista “Forbes” em US$ 18,6 bilhões. “Assim, conforme seu projeto original, o professor Watson poderá dar o produto de sua venda a institutos de pesquisa”, prosseguiu o comunicado.

James Watson, geneticista e bioquímico, hoje com 86 anos, conquistou o Nobel de medicina e fisiologia em 1962, após ter co-descoberto, em 1953, a estrutura da dupla hélice do DNA, uma das maiores descobertas científicas da história da humanidade.

Em 2007, ele foi muito criticado pelas declarações dadas ao jornal Sunday Times, nas quais deu a entender que os africanos eram menos inteligentes que os ocidentais, e precisou deixar a presidência do Cold Spring Harbor Laboratory (CHSL) de Long Island, perto de Nova York. Sua medalha do Nobel, feita em ouro 23 quilates, de 6,6 centímetros de diâmetro, representando o perfil esquerdo de Alfred Nobel foi, segundo a Christie's, a primeira já vendida em leilão com o premiado ainda vivo.

Ela foi adquirida em 4 de dezembro em questão de minutos e o nome do comprador ficou em segredo até o anúncio de Usmanov. James Watson admitiu ao “Financial Times” que vendeu sua medalha porque precisava de dinheiro, após ter sido excluído de várias sociedades.

Leia tudo sobre: Clique para inserir palavras chave