Para Dilma, entrega de relatório sobre a ditadura é 'momento marcante'

Na tarde desta quarta-feira (10), presidente participou da entrega do Prêmio Direitos Humanos 2014 e ressaltou os avanços que o seu governo teve na área

iG Minas Gerais | Folhapress |

DF - DILMA/COMISSÃO DA VERDADE - POLÍTICA - A presidente Dilma Rousseff emociona-se ao discursar na cerimônia da Comissão Nacional da Verdade no Palácio do Planalto, em Brasília, nesta quarta-feira (10), em que recebeu o relatório sobre os crimes cometidos na ditadura militar. A cerimônia coincide com o Dia Internacional dos Direitos Humanos.  10/12/2014 - Foto: ED FERREIRA/ESTADÃO CONTEÚDO
ESTADÃO CONTEÚDO
DF - DILMA/COMISSÃO DA VERDADE - POLÍTICA - A presidente Dilma Rousseff emociona-se ao discursar na cerimônia da Comissão Nacional da Verdade no Palácio do Planalto, em Brasília, nesta quarta-feira (10), em que recebeu o relatório sobre os crimes cometidos na ditadura militar. A cerimônia coincide com o Dia Internacional dos Direitos Humanos. 10/12/2014 - Foto: ED FERREIRA/ESTADÃO CONTEÚDO

 A presidente Dilma Rousseff classificou como "marcante para a trajetória democrática do país" a entrega do relatório final produzido pela Comissão Nacional da Verdade na manhã desta quarta-feira (10).

Em cerimônia de entrega do Prêmio Direitos Humanos 2014, realizado na tarde desta quarta, no Palácio do Itamaraty, a presidente ressaltou os avanços que o seu governo teve na área e em políticas sociais e agradeceu aos condecorados pelos trabalhos prestados.

"Hoje tivemos pela manhã uma cerimônia muito importante que foi a entrega do relatório da Comissão Nacional da Verdade. Um momento marcante na trajetória democrática do nosso país. Trata-se de passo fundamental para garantir o direito de todos os brasileiros: conhecer sua história sem restrição para que a gente possa casa vez mais construir uma sociedade melhor", afirmou Dilma.

Em cerimônia no Palácio do Planalto, realizada pela manhã, o coordenador da comissão, Pedro Dallari, entregou o documento com cerca de 2 mil páginas, para a presidente. Durante a sua fala, Dilma se emocionou e afirmou que o documento não pode ser usado para revanchismos ou incitações de ódio. Ao lembrar das pessoas que morreram durante o regime militar, Dilma interrompeu seu discurso e chorou por alguns instantes.

Na premiação de Direitos Humanos, Dilma afirmou que o Brasil avançou muito na área social mas que ainda é preciso fazer muito mais. "Se elenco aqui algumas conquistas, não é que estou satisfeita, mas temos que celebrar", disse. A presidente citou dados de alguns programas governamentais como o programa Minha Casa, Minha Vida, Brasil sem Miséria e Mais Médicos.

"Me orgulha muito estar aqui participando desse ato uma vez que as pessoas aqui presentes contribuem para o enfrentamento das violações aos direitos humanos e a afirmação dos direitos humanos no nosso país. A luta que vocês travam é de fundamental importância. São batalhas diárias que impõem sacrifícios e causas que exigem abnegação, fraternidade e muita solidariedade", disse.

O Prêmio Direitos Humanos 2014 é a mais alta condecoração governamental do setor no país. Na edição deste ano, 23 pessoas foram agraciadas com o prêmio em 21 categorias. Também tomaram posse os 22 conselheiros titulares e 18 suplentes do Conselho Nacional de Direitos Humanos, vinculado à Secretaria de Direitos Humanos da Presidência da República. O Conselho foi criado em junho deste ano.

 

Leia tudo sobre: Clique para inserir palavras chave