Zeca Dirceu diz que relator de Vargas usa desgraça para se promover

Deputado optou por não participar da votação do processo de cassação e atacou o relator do processo, deputado Julio Delgado (PSB-MG)

iG Minas Gerais | Folhapress |

Um dos petistas que optou por não participar da votação do processo de cassação de André Vargas (ex-PT-PR) na Câmara, o deputado Zeca Dirceu (PT-PR) atacou nesta quarta-feira (10) o relator do processo, deputado Julio Delgado (PSB-MG).

Segundo ele, Delgado tem utilizado a desgraça dos colegas para se promover politicamente. O pessebista também foi relator do processo que levou a perda do mandato do ex-ministro José Dirceu, pai do deputado, condenado pelo STF (Supremo Tribunal Federal) no julgamento do mensalão.

"Ele tem se caracterizado como alguém que usa da desgraça dos outros para se promover. Eu prefiro fazer política diferente. É uma opção. Não cabe a mim criticar", afirmou o petista. Zeca Dirceu estava na Câmara, mas não votou. Ele justificou que participava de uma reunião da bancada do partido no momento da votação.

Para ele, a bancada perdeu um "interlocutor importante". Acusado de envolvimento com um dos pivôs do escândalo de desvio de recursos da Petrobras, Vargas manteve seu mandato cassado nesta quarta-feira (10) pela Câmara dos Deputados.

A perda do mandato foi aprovada, em votação aberta, por 359 votos --eram necessários 257 votos. O deputado José Airton (PT-CE) foi o único a votar contra a cassação. Os deputados Júlio Campos (DEM-MT), Nelson Meurer (PP-PR), Dalva Figueiredo (PT-AP), Dr. Luiz Fernando (PSD-AM), Beto Faro (PT-PA) e Sibá Machado (PT-AC) se abstiveram.

Dos 87 deputados petistas, 53 participaram da votação. Segundo parlamentares, o presidente do PT, Rui Falcão, orientou a votação pela cassação.

Leia tudo sobre: Clique para inserir palavras chave