Dorival se diz chateado com diretoria após garantia de ficar em 2015

O ex-treinador também considerou a temporada com o Palmeiras como o trabalho mais difícil em 11 anos de carreira

iG Minas Gerais | FOLHAPRESS |

Sem o volante Juninho, peça-chave do esquema, Dorival Júnior quebra a cabeça para montar o time
Divulgação/Palmeiras
Sem o volante Juninho, peça-chave do esquema, Dorival Júnior quebra a cabeça para montar o time

Demitido após o término do Campeonato Brasileiro, quando conseguiu evitar o terceiro rebaixamento da história do Palmeiras, o técnico Dorival Júnior lamentou a sua saída do clube paulista e demonstrou que ficou chateado com a diretoria alviverde.

Em entrevista à Rede Globo, o treinador afirmou que, ao ser contratado para tentar livrar o time da queda para a Série B, teve a garantia dos dirigentes do Palmeiras de que permaneceria no comando da equipe no ano que vem.

"Eu pontuei, antes até de discutir valores com a diretoria do Palmeiras, que se quisessem o meu trabalho apenas para os jogos finais desse campeonato, que eu não seria o nome indicado e que retornaria para a minha casa sem problema nenhum. Mas, eu tive essa garantia de que continuaria à frente e que o principal objetivo era tirar o Palmeiras daquela situação, coisa que felizmente acabou acontecendo", disse Dorival Júnior.

"Eu penso muito antes até na entidade do que no meu lado profissional. E eu não gostaria de vir para o Palmeiras apenas como um bombeiro, para que apagássemos um incêndio. Até porque, na maioria dos meus trabalhos, acredito que o ponto positivo sempre foi a montagem dos grupos", completou.

Quando Dorival Júnior assumiu o Palmeiras, no início de setembro, o clube era o 16º colocado do Campeonato Brasileiro e estava ameaçado de rebaixamento. Após o empate de 1 a 1 com o Atlético-PR no último domingo, em São Paulo, o time palmeirense continuou na mesma posição, mas confirmou sua permanência na elite do futebol nacional.

Segundo ele, depois que a equipe mostrou uma recuperação na competição, houve uma queda brusca, com uma sequência de resultados negativos, que coincidiram com a lesão do meia Valdivia após a sua ida para a seleção chilena.

"Fiquei chateado porque havia um compromisso. Acredito que todos nós tivemos erros dentro no Palmeiras. É difícil neste momento de você pontuar, mas natural que nós tenhamos tido alguns erros, mas talvez tenha sido o trabalho mais difícil e complicado ao longo dos meus 11 anos de carreira", analisou.