Brasileiro cego vira surfista 'da casa' no Havaí

Apesar de contar com a ajuda de outro surfista, Derek diz ter a percepção de saber quando e para que lado a onda está quebrando

iG Minas Gerais | FOLHAPRESS |

Derek Rabelo ficou entre os 30 na etapa de Lima, no Peru
Alex de Jesus
Derek Rabelo ficou entre os 30 na etapa de Lima, no Peru

É noite e o espaço reservado para a hora da merenda das crianças de uma escola na praia de Pipeline, no Havaí, onde acontece a última etapa do Mundial, está cheia de gente para acompanhar um filme sobre um surfista brasileiro.

Gabriel Medina? Mineirinho? Carlos Burle? Não. Trata-se de Derek Rabelo, 22 anos, um capixaba que nasceu cego e hoje divulga o seu documentário, "Além da visão", por diversas partes do mundo. O filme conta a história do surfista.

"O surfe me traz uma adrenalina constante e me faz sentir a vida. É uma sensação de perigo e prazer que só quem surfa sabe o que é", disse.

Rabelo surfa sempre com alguém do seu lado. Apesar de sempre contar com a ajuda de outro surfista, ele mesmo diz ter a percepção de saber quando e para que lado a onda está quebrando. Hoje, além do surfe, gosta também de andar de skate. Já fez tow-in, onde o surfista é rebocado por um jet-ski para pegar um grande onda, e até saltou de paraquedas.

O pai de Derek, Ernesto, é o grande incentivador. Sempre sonhou em ter um filho surfista. "Minha família é fundamental para mim. Sempre me apoiaram no esporte", conta.

O nome Derek, aliás, é uma homenagem a Derek Ho, 50 anos, primeiro surfista havaiano a conquistar o Mundial da modalidade, em 1993.

No Havaí, o brasileiro é reconhecido nas praias pelos demais surfistas. Enquanto se prepara para cair no mar, é "hi, Derek" para cá e outro "hi, Derek" para lá. É a quarta vez do capixaba na praia de Pipeline, que é considerada a "meca" do esporte.

"Com Derek, aprendemos que devemos fazer mais e reclamar menos. Onde ele for, ele será respeitado pela coragem que tem", disse a estudante Kelly Wishner, 22 anos.

O tratamento especial faz o capixaba se sentir em seu lar. Foi exatamente no Havaí que Rabelo realizou a sua primeira viagem para surfar.

"Eu amo o Havaí. Exibir o meu filme aqui, de frente para a praia de Pipeline, foi uma honra. Aqui eu estou em casa", afirmou.

Leia tudo sobre: surfistacegobrasilhavaí