Alíquota do ICMS em Minas é impedimento para preço baixar

Outro alerta do presidente da Siamig é para que o teste de rendimento do combustível seja feito individualmente

iG Minas Gerais | ludmila pizarro |


Para sindicato, é preciso fazer teste de rendimento para cada veículo
Lincon Zarbietti / O Tempo
Para sindicato, é preciso fazer teste de rendimento para cada veículo

A atual alíquota de 19% do ICMS do etanol em Minas Gerais é o principal motivo para o preço do combustível não ser competitivo com o da gasolina no Estado. Essa é a opinião do presidente do Sindicato da Indústria de Fabricação do Álcool no Estado de Minas Gerais (Siamig), Mário Campos. “Para baixar o preço do álcool, teríamos que diminuir a alíquota do ICMS. Isso já acontece em Estados do país que são competitivos como São Paulo, Goiás e Mato Grosso”, diz Campos.  

Tramita na Assembleia Legislativa do Estado o Projeto de Lei 5.494/2014, que propõe a redução da alíquota do Imposto sobre Circulação de Mercadorias e Serviços (ICMS) sobre o etanol de 19% para 14%. “O setor aguarda que esse projeto seja votado e aprovado ainda neste ano para que em 2015 os preços do etanol em Minas Gerais já estejam menores”, declara Campos.

Outro alerta do presidente da Siamig é para que o teste de rendimento do combustível seja feito individualmente. “Falar que o etanol precisa custar, no máximo, 70% da gasolina para ser competitivo não é verdade. Esse índice pode variar de acordo com o automóvel. O consumidor dever fazer o teste. Avaliar quanto o litro da gasolina rende no seu carro e depois fazer o mesmo com um tanque de etanol”, explica. 

Leia tudo sobre: Clique para inserir palavras chave