A voz da Massa

iG Minas Gerais |

Saudações alvinegras! A notícia é ótima! O volante xerifão Leandro Donizete renovou contrato e ficará no Galo por mais duas temporadas, até o fim de 2016. Leandro, ou como queiram, “LEÃODRO” Donizete é um dos pilares do nosso time. Fora de campo, ele demonstra um espírito de liderança incrível na equipe. É respeitado por todos como um atleta na acepção mais exata da palavra, pois se cuida muito bem e é centrado nos objetivos. Em campo, é aquilo que todo mundo vê: um guerreiro, que além de saber jogar muita bola, nunca se entrega e não afina. E se tiver que chegar junto, chega também – que o diga o pessoal do outro lado da lagoa, que morre de medo dele! Enfim, Leandro Donizete é um jogador fundamental para o sucesso do nosso time. Mais uma tacada certeira do nosso novo presidente – a primeira foi a renovação de Levir – para fazer o Galão arrebentar de novo em 2015.

A voz Celestes Ontem, nas redes sociais, o que mais se comentava era sobre a saída de Alexandre Mattos do nosso Cruzeiro. Sem dúvida nenhuma, foi o ídolo que não entrou em campo, um profissional de extrema competência e muito querido por todos, além de ter uma identificação muito forte com a torcida, a maior de Minas. A China Azul só tem a agradecer, depois de dez anos de um jejum fora do normal dentro da nossa história, o homem forte do futebol celeste nos ajudou a regressar ao lugar mais alto. Gostaria de frisar uma imagem marcante do tetra, no jogo contra o Goiás na Toca 3, o que vencemos de virada e sob chuva, bastávamos vencer e seríamos campeões. Ao término do jogo, Mattos vai ao gramado comemorar o título, e Dagoberto levanta uma de suas mãos e ele sai com os punhos levantados, vibrando como mais um louco, ao estilo de um torcedor apaixonado pelo Cruzeiro. A nação azul agradece.

Avacoelhada Gilson se destacou mais na função de articulador do que na de lateral-esquerdo. Deveria permanecer no América em 2015, mas o retorno do jogador ao Cruzeiro poderá acelerar o processo do desenvolvimento e aproveitamento do Xavier e do Patrick no profissional. O ideal seria evitar queimar etapas. Os sub-23 são atletas em formação. A oscilação faz parte desse período de transição. Os promovidos deveriam ser escalados aos poucos, em times estruturados, sem a responsabilidade de decidir partidas. Ainda assim, precisam de treinos intensivos, preparação psicológica, participação nos coletivos e condicionamento físico ideal a fim de facilitar o aprimoramento na equipe principal. Kaio, Júnior Lemos, Ygor e Renatinho são alternativas para formar o meio de campo. Renan Oliveira dependerá da renovação do contrato e do aumento da intensidade produtiva.

Leia tudo sobre: Clique para inserir palavras chave