Tribunal alemão abandona acusações contra ex-nazista

Justiça da Alemanha alega falta de provas contra réu; à decisão ainda cabe recurso

iG Minas Gerais |

Ruínas. 
O que restou do povoado Oradour-sur-Glane, na França
AFP PHOTO/ OLIVIER LABAN-MATTEI
Ruínas. O que restou do povoado Oradour-sur-Glane, na França

Berlim, Alemanha. A Justiça alemã abandonou nesta terça, por falta de provas, as acusações contra um alemão de 89 anos acusado de ter participado do massacre nazista na cidade francesa de Oradour-sur-Glane durante a Segunda Guerra Mundial.

“Os elementos de prova disponíveis não permitem a priori” contradizer a defesa do ex-soldado nazista, que reconheceu ter estado presente no local dos fatos, mas disse que não havia usado sua arma ou participado do massacre, anunciou o tribunal regional de Colônia.

Werner C. havia sido acusado em janeiro passado de ter participado da morte de 25 pessoas e de cumplicidade no massacre de outras centenas em um dos piores massacres cometidos na França pelo exército alemão durante a Segunda Guerra Mundial.

Em junho de 1944, em Oradour-sur-Glane, 642 pessoas foram massacradas. Os juízes consideraram que a participação do ex-soldado no massacre não podia ser provada. A procuradoria do gabinete de investigação sobre os crimes nazistas tem uma semana para recorrer.

Salvos. Três quartos dos judeus franceses se salvaram da deportação durante a Segunda Guerra Mundial, a maior proporção entre os países ocupados pelos nazistas, afirmou nesta segunda um funcionário de alto escalão dos Estados Unidos.

“Acredito que quase ninguém reconhece: entre todos os países sob ocupação nazista, a França teve de longe a maior porcentagem de judeus que salvaram sua vida”, disse Suart Eizenstat, conselheiro especial sobre o Holocausto do secretário de Estado John Kerry, durante a assinatura de um acordo entre os países sobre a indenização das vítimas.

Leia tudo sobre: Clique para inserir palavras chave