Indígenas ocupam linha férrea e impedem viagens do trem da Vale

Passageiros que já adquiriram bilhetes podem se dirigir às estações ao longo do trecho para remarcar as passagens ou solicitar reembolso no prazo de 30 dias; No sábado (6), os Krenak ocuparam a estrada de ferro no mesmo trecho

iG Minas Gerais | Gustavo Lameira |

As operações de carga e de passageiros estão paralisadas por tempo indeterminado na Estrada de Ferro Vitória a Minas (EFVM). De acordo com a Vale, por volta de 17h desta terça-feira (9), representantes do povo Indígena Krenak ocuparam um trecho da linha, em Resplendor, no Vale do Rio Doce.

Os passageiros que já haviam adquirido seus bilhetes poderão se dirigir às estações ao longo do trecho para remarcar sua passagem ou solicitar reembolso no prazo de 30 dias. Mais informações podem ser obtidas pelo Alô Ferrovias (0800 285 7000). A Vale lamenta o ocorrido e informa que já está tomando as medidas necessárias para liberar o tráfego ferroviário o quanto antes e garantir o embarque dos passageiros que estão com viagens  agendadas para os próximos dias.

No último sábado (6), cerca de 25 representantes do povo indígena Krenak ocuparam a linha férrea no mesmo trecho.

Entenda

Representantes da empresa se reuniram nessa segunda (8) com os indígenas na Terra Indígena Krenak, sem chegar a um consenso. Nesta terça, a Vale encaminhou novamente representante à Terra Indígena Krenak, mas, ao comparecer ao local, este foi impedido de sair e foi obrigado a seguir junto com a comunidade para a ferrovia, local da ocupação.

Além do apoio já prestado pela Vale, as reivindicações dos indígenas envolvem também repasse financeiro no valor de R$ 3 milhões ainda este ano; a saída da equipe técnica que apoia a implementação do projeto de pecuária leiteira; e a não participação da Funai e do Ministério Público Federal nesse processo.

Cabe destacar que o acordo em questão é uma liberalidade, mas, ainda assim, durante várias reuniões com a Vale, com o Ministério Público Federal e com a Funai, os indígenas se mostraram inflexíveis diante das propostas apresentadas. Ainda segundo a Vale, a Estrada de Ferro Vitória a Minas está fora da área de abrangência da Terra Indígena Krenak.

A Vale reitera seu compromisso em se relacionar com o Povo Krenak de modo transparente e participativo, mantendo uma relação construtiva, respeitando suas características próprias e a legislação vigente. A empresa ratifica sua intenção de manter o canal de comunicação aberto com as comunidades, mas que repudia quaisquer manifestações violentas que coloquem em risco seus empregados, passageiros, suas operações e que firam o Estado Democrático de Direito e ratifica que obstruir ferrovia é crime.

Leia tudo sobre: Clique para inserir palavras chave