Com gasto de R$ 4 milhões, Senado ganha novos painéis e notebooks

Presidente da Casa, Renan Calheiros, disse que o novo sistema também vai permitir a "publicação em tempo real" dos resultados das votações

iG Minas Gerais | Folhapress |

Agência Senado/Divulgação
undefined

Com gastos de quase R$ 4 milhões, o Senado inaugurou nesta terça (9) os novos painéis de votações nas comissões e no plenário da Casa. Também começaram a ser instalados 364 notebooks com tela sensível ao toque para cada senador nas oito comissões permanentes do Senado e no plenário, apesar deles já possuírem tablets individuais e computadores portáteis no principal local de votação da Casa.

Só com a compra dos notebooks, o Senado gastou cerca de R$ 1,5 milhão. Em rápida cerimônia para inaugurar o painel na CAE (Comissão de Assuntos Econômicos), o presidente do Senado, Renan Calheiros (PMDB-AL), justificou o gasto ao afirmar que o sistema eletrônico vai evitar casos em que "senadores votam incorretamente, ou por acidente".

O plenário já conta com painel eletrônico, que foi modernizado, mas nas comissões o voto ocorre verbalmente, com contagem individual. O novo painel de votações do plenário possui 23 monitores de tecnologia LFD (Large Format Display ou Tela de Grande Formato, em tradução livre), que permite maior qualidade de imagem e fina espessura.

Renan disse que o novo sistema também vai permitir a "publicação em tempo real" dos resultados das votações. "Todas essas melhorias, que inclui a aquisição de painéis para o plenário, leitores de impressão digital e mais de 360 computadores para uso exclusivo dos senadores do plenário e comissões foi a um custo total inferior a R$ 4 milhões", disse Renan.

Segundo o presidente do Senado, os custos foram cobertos com a venda da folha de pagamento dos servidores da Casa ao Banco do Brasil e Caixa Econômica Federal. "Isso forma o compromisso dessa Mesa Diretora de fazer mais com menos", justificou.

Renan assumiu o comando do Senado no ano passado com a promessa de corte de gastos. Apesar de ter reduzido despesas da Casa, Renan não diminuiu os benefícios diretos dos congressistas, como a aquisição dos novos notebooks.

Em 2011, a Casa comprou tablets e smartphones para todos os congressistas -que podem ser levados de uma sala para outra-, mas o Senado justifica a nova aquisição ao afirmar que os notebooks nas comissões garantem "disponibilidade" dos computadores a todos os senadores. O plenário já possui 81 computadores individuais nas bancadas de cada parlamentar, mas a Casa decidiu trocar os equipamentos instalados há cinco anos porque considera os atuais "no final de sua vida útil". Os atuais computadores são notebooks tradicionais, sem a tela "sensível ao toque", como consta no novo modelo.

Leitores

Nas oito comissões, ainda serão instalados leitores biométricos para o registro do "ponto" dos senadores, que não vão mais precisar ir ao plenário para marcar presença --como ocorre no atual modelo.

O registro no sistema biométrico é feito por meio da impressão digital de cada congressista. O gasto para a instalação do modelo biométrico nas comissões será de cerca de R$ 9 mil.

Os dois corredores onde estão localizadas as comissões vão receber duas TVs com tecnologia Full HD para exibição de informações relacionadas às reuniões dos congressistas. O edital prevê a compra de mais dois televisores como "reserva técnica" para substituir os que foram instalados há mais de cinco anos nos plenários das comissões.

O Senado afirma, no edital, que a troca dos equipamentos vai permitir maior agilidade no trabalho dos senadores ao possibilitar que acompanhem pelos notebooks documentos e informações das reuniões das comissões.

Leia tudo sobre: Clique para inserir palavras chave