Buracos tomam faixa do Move

Problema obriga os coletivos a saírem da pista exclusiva da via e passar pela comum

iG Minas Gerais | Cinthia Ramalho |

Motoristas reduzem velocidade para evitar danificar os coletivos
NIDIN SANCHES / O TEMPO
Motoristas reduzem velocidade para evitar danificar os coletivos

Motoristas das linhas do Move que passam pela avenida Vilarinho, na região de Venda Nova, na capital, estão trafegando por pistas exclusivas cheias de buracos, o que coloca em risco a vida deles e de usuários de ônibus, pedestres e outros motoristas. No último dia 28, a reportagem de O TEMPO percorreu toda a via e constatou que, em alguns trechos, a faixa exclusiva está interditada, o que obriga os coletivos a trafegarem pelas pistas comuns. Moradores relatam que, em outros pontos, os buracos já teriam sido tampados por equipes da Superintendência de Desenvolvimento da Capital (Sudecap), mas com o peso dos coletivos voltaram a ceder poucos dias após as obras.

queixas. Motoristas dos ônibus reclamam que os problemas tornam o trabalho perigoso e estressante. “A situação está bem crítica. Os buracos são grandes e temos que tomar muito cuidado”, afirma um motorista da linha 62 (Venda Nova/Savassi), que pediu anonimato.

Saiba mais

Instalação. O Move começou a funcionar na capital em março deste ano. O tráfego das linhas na estação Vilarinho começou em agosto.

Acidente. Uma vendedora que trabalha em uma loja na avenida Vilarinho contou à reportagem que, por causa dos declives no asfalto, se desequilibrou e acabou caindo, machucando o joelho há cerca de um mês. “Caí ao atravessar a rua. Está muito difícil andar nesta via cheia de buracos”, afirmou a mulher, sob anonimato.

Leia tudo sobre: Clique para inserir palavras chave