PF investe no setor de inteligência e recupera mais

iG Minas Gerais |

As apreensões de drogas realizadas pela Polícia Federal (PF) também aumentaram nos últimos anos. Em 2011, foram recuperados 735 kg de maconha. Esse número passou para 7.363 kg em 2013, um aumento de 900%. Fato semelhante aconteceu com a cocaína, quando foram interceptados 253 kg, em 2011, contra 2.199 kg no ano passado, um crescimento de 769%.

Segundo o delegado regional de combate ao crime organizado da Polícia Federal, Paulo Henrique Barbosa, o trabalho da corporação tem ênfase na inteligência. As investigações duram aproximadamente seis meses, e os alvos são grandes quadrilhas que trazem os entorpecentes para o Estado. “O que a gente busca é a descapitalização das quadrilhas”, revela Barbosa. A PF também investiga quais os bens pertencem aos traficantes e quais as pessoas estão envolvidas na atividade criminosa. Assim, depois da prisão, ninguém assumirá o posto.

Algumas regiões de Minas são consideradas estratégicas como o Triângulo e o Centro-Oeste. A primeira, conforme Barbosa, está em uma posição geograficamente interessante por dar acesso ao interior de São Paulo e até para o resto do país, já que na região existem muitas fazendas e pistas vicinais que propiciam o pouso de aeronaves.

Ainda conforme o delegado, em cidades do Centro-Oeste, como Nova Serrana, o consumo de maconha é elevado. Para Barbosa, a situação pode estar ligada ao quadro econômico. “São cidades desenvolvidas com médio porte econômico”, diz. (AD)

Leia tudo sobre: Clique para inserir palavras chave