Acusado no cartel de trens em SP controlaria 23 contas na Europa

Contas ligadas ao consultor estariam distribuídas na Suíça, na Alemanha e no Reino Unido, conforme reportagem da TV Globo

iG Minas Gerais | Da Redação |

O consultor Arthur Gomes Teixeira, indiciado pela Polícia Federal em investigação sobre um cartel de empresas que seria responsável por fraudar licitações de trens e metrô em São Paulo, é apontado como controlador de pelo menos 23 contas bancárias em instituições financeiras na Europa. As contas bancárias seriam estariam no nome do consultor e de empresas e pessoas ligadas a ele.

A informação, segundo a TV Globo, é do Ministério Público de São Paulo, que enviou na semana passada, em parceria com o Ministério Público Federal, uma delegação para Berna, na Suíça, em busca de de novos indícios de corrupção envolvendo empresas multinacionais e funcionários públicos brasileiros. Segundo a reportagem apurou, as contas ligadas ao consultor estariam distribuídas na Suíça, na Alemanha e no Reino Unido.

Ele é acusado de ser o intermediário do pagamento de propina das empresas suspeitas de cartel para servidores públicos. Segundo a Polícia Federal, o suborno era pago para que as companhias fossem favorecidas em licitações e contratos públicos. Ao todo, a Polícia Federal indiciou 33 pessoas em investigação sobre esquema de fraudes em licitações que teria ocorrido entre 1998 e 2008 em governos do PSDB.

O Ministério Público de São Paulo espera que, com o envio formal pela Suíça de processos de investigação criminal, seja possível descobrir se há mais servidores públicos envolvidos no esquema de fraude e a entender melhor a forma de atuação de multinacionais como Alstom e Siemens na obtenção de contratos.

A expectativa é ainda de que as novas provas contribuam na identificação do percurso de dinheiro encontrado na Suíça relacionado a investigados no escândalo do cartel.

Leia tudo sobre: Clique para inserir palavras chave